(Furious 7, CHN/JPN/EUA, 2015)

Ação
Direção: James Wan
Elenco: Vin Diesel, Paul Walker, Jason Statham, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Ludacris, Dwayne Johnson, Lucas Black, Kurt Russell, Nathalie Emmanuel, Elsa Pataky, Luke Evans, Djimon Hounsou, Ronda Rousey
Roteiro: Gary Scott Thompson (personagens), Chris Morgan
Duração: 137 min.
Nota: 5 ★★★★★☆☆☆☆☆

No meio das filmagens de Velozes & Furiosos 7, a franquia perdeu um de seus protagonistas. Paul Walken, então com 40 anos, faleceu em um acidente de carro. Usando dois irmãos do ator como dublês e auxiliando nas dublagens posteriores, o filme foi concluído e chegou aos cinemas.

A série de filmes deve muito de seu sucesso ao seu formato de seriado, ou pode-se dizer novela, que sobrevive e mantém seu público graças à familiaridade com os personagens, uma estrutura pré-determinada e uma pesada manipulação do melodrama.

Dirigido por James Wan (Invocação do Mal), o sétimo filme da série começa com um personagem desconhecido do público, Deckard Shaw, vivido por Jason Statham (Parker), o primeiro vilão do filme, que veio vingar seu irmão, o antagonista do filme anterior. Depois de uma conversa unilateral com o irmão acamado em um hospital e de uma péssima passagem com armamento pesado, saímos com ele do hospital e vemos que a ação do filme vai ser para valer.

Depois, o público vai se reencontrando aos poucos com rostos conhecidos, começando por Robbs, vivido pelo grandalhão Dwayne Johnson (O Escorpião Rei) no terceiro título consecutivo, e a família Toretto. Primeiro em seu núcleo familiar, com um Brian se adaptando à vida de pai, e com o resto da família não-sanguínea de corredores de rua.

Brian, papel de Paul Walker (Veículo 19), pelo ocorrido no meio das filmagens, é tratado com um distanciamento, sem muitas passagens claras na maior parte das cenas mais calmas. Mas é interessante que, diferente do habitual em novelas e afins, não tenham escolhido uma outra solução para o personagem.

A história do filme é cheia de caminhos. Para começar, tem dois vilões: Shaw, ex-agente britânico que quer vingança a qualquer custo, e Jakande, vivido por Djimon Hounsou (Diamante de Sangue) que sonha em ter em seu poder um dispositivo de rastreamento ultramoderno criado pela hacker Ramsey, também novidade na franquia, sob a responsabilidade de Nathalie Emmanuel (Maze Runner: Prova de Fogo).

Seguindo o padrão dos últimos filmes da série, o investimentos em novas e mais complexas cenas de ação são pesados. Temos salto de paraquedas com carros, luta de mulheres vestidas à rigor, resgate com aerofólio, perseguição com drones e até parkour automotivo, entre outras coisas. Embora se exceda e aposte sempre na câmera frenética e nos muitos cortes, tudo acaba funcionando como era esperado.

O melodrama também acompanha o indicado pela franquia desde os primeiros filmes, aqui com coisas como a falta de memória de Letty, papel de Michelle Rodriguez (Avatar), que dá motivos para uma das cenas mais piegas de todo o filme; a segunda gravidez de Mia, Jordana Brewster (O Último Golpe), e a morte de um integrante da turma, que vai ser levado para ser enterrado perto das ruas onde corria.

As atuações seguem os mesmos padrões de antes, sem grandes alterações em nenhum dos personagens, mas aparecimentos inesperados, como o de Kurt Russell (À Prova de Morte), equilibrado com o nível interpretativo do resto do pessoal, são boas surpresas.

Velozes & Furiosos 7 ainda ganha alguns pontos com a participação de Stataham e suas coreografias de luta elaboradas, além de bons momentos de ação com a lutadora de MMA Ronda Rousey (Os Mercenários 3), segurança de um príncipe em Abu Dabi, e com a participação do principal “funcionário” de Jakande, vivido por Tony Jaa (Ong-Bak – Guerreiro Sagrado), tanto no parkour quanto nas lutas corporais.

Mas não deixa de ser mais do mesmo. Ainda que muito tumultuado pelo excesso de personagens e tramas paralelas, é eficiente na construção das cenas de perseguição, corridas e ação mais genérica, e consegue agradar seu público-alvo em cheio.

Após a calmaria, Velozes & Furiosos 7 se encerra com um memorial a Paul Walker, com imagens dos filmes anteriores e um texto melodramático lido pelo ator Vin Diesel (O Último Caçador de Bruxas). Meio sem jeito, como um grandalhão tentando demonstrar seus sentimentos, mas que também chega onde quer.

Um Grande Momento:
Carro não voa.

Velozes-e-furiosos7_poster

Links

No IMDb