Hoje (14) em São Paulo aconteceu a já tradicional Parada do Orgulho Gay. Em seu 13º ano de realização, o tema do evento era “Sem Homofobia, Mais Cidadania – Pela Isonomia dos Direitos!” e celebrava os 30 anos do movimento LGBT no país. Aproximadamente três milhões de pessoas coloriram o trajeto da Avenida Paulista ao Largo do Arouche.

Outros eventos aconteceram e ainda estão programados para o mês de junho na capital paulista. Entre eles exposições, peças teatrais e a apresentação do documentário Uma Questão de Gênero, de Rodrigo Najar.

Como não poderia deixar de ser, o top 10 de hoje também vai falar de diversidade. Na lista, dez grandes filmes sobre o tema.

Infâmia (The Children’s Hour)

Em uma escola particular só para garotas, duas professoras são acusadas por uma aluna de terem uma relação homossexual e sofrem com o preconceito de toda uma cidade.
Dirigido por William Wyler, é uma refilmagem de um outro título do mesmo autor, com o mesmo nome no Brasil, de 1936. Apesar dos nomes de Shirley MacLaine e Audrey Hepburn envolvidos no projeto, o filme não foi visto por muita gente mas uma de suas cópias está sendo restaurada e talvez reestreie nos cinemas de Paris no próximo mês.

O Segredo de Brokeback Mountain (Brokeback Mountain)

Dois cowboys se apaixonam durante um trabalho de verão. Por suas tradições tentam esquecer o passado, mas não conseguem.
Com um visual maravilhoso e a mão segura de Ang Lee, o filme conquistou o público, foi indicado a vários prêmios, levou para casa o Oscar de melhor direção, melhor trilha sonora e melhor roteiro adaptado – apesar de merecer outros – e confirmou o enorme talento de Heath Ledger.

Imagine Eu e Você (Imagine Me & You)

No dia do seu casamento, mulher se encanta com a responsável pela decoração da igreja e não consegue entender muito bem o que está acontecendo.
Filminhos água-com-açúcar sempre conseguem agradar e, apesar dos muitos títulos lançados anualmente do gênero, Imagine Eu e Você surpreendeu por tratar do amor entre duas mulheres.

A Lei do Desejo (La ley del deseo)

Um diretor homossexual, sua irmã transexual e um rapaz ainda em dúvida quanto a sua orientação vivem um inusitado triângulo amoroso.
Sempre que pode, Pedro Almodóvar dá um jeito de tocar na questão da homossexualidade e do preconceito em seus filmes. Com todas as suas cores e personagens exóticos, acabou ajudando a quebrar várias barreiras quanto ao tema.

Uma Cama pra Três (Gazon maudit)

A vida de um casal é completamente abalada depois que o trailer de uma lésbica quebra em frente de sua casa.
Usando a comédia, Josiane Balasko, que vive o papel da lésbica viajante, traz a tona sentimentos confusos e situações bem complicadas. O filme foi ganhador do prêmio César de melhor roteiro, além de ter sido indicado como melhor filme, diretor, ator e ator coadjuvante. Porém, o final original foi editado e alterado para lançamento nos Estados Unidos.

Transamérica (Transamerica)

Um transexual prestes a fazer a cirurgia de troca de sexo descobre que tem um filho preso em Nova York e decide ajudá-lo. Sem saber a verdade, o jovem a acompanha até Los Angeles.
Quase todo passado em estradas dos Estados Unidos o filme aborda a homossexualidade, a vida dos garotos de programa, a intolerância familiar e a adequação sexual. Tudo de uma maneira cativante e com uma interpretação fantástica de Felicity Huffman no papel do transexual.

Desejo Proibido (If These Walls Could Talk 2)

Em uma mesma casa, mulheres homossexuais vivem diferentes histórias de vida. Uma não é considerada da família e perde sua casa mesmo após ter sido dividido 50 anos de sua vida com a companheira; um grupo de estudantes é expulso por suas amigas por serem lésbicas e duas companheiras tentam realizar o sonho da maternidade.
Vanessa Redgrave, Elizabeth Perkins, Chloe Sevigny, Sharon Stone e outros nomes dão vida a algumas das mulheres da trama que comove do começo ao fim, mas tem seu ponto forte no primeiro episódio, “1961”. O filme, feito originalmente para a televisão, chegou em Brasil direto em vídeo.

Normal (Normal)

Ao comemorar 25 anos de casado, marido confessa à esposa que sempre se sentiu uma mulher em um corpo masculino e, por não tolerar mais isso, avisa que se submeterá a uma operação de troca de sexo.
Um dos maiores sucessos do canal pago HBO em 2003, com atuações inesquecíveis de Tom Wilkinson e Jessica Lange e uma história tão forte, quanto corajosa.

Minha Mãe Gosta de Mulher (A mi madre le gustan las mujeres)

Quando descobrem que a mãe está se relacionando com uma mulher, três irmãs resolvem unir forças para acabar com a história.
Apesar de falar também de algumas dúvidas da mãe, o filme se baseia na dificuldade das pessoas, principalmente da família, em aceitar a orientação sexual de quem convive com elas. Com um texto afiado, boas atuações e uma música-tema inesquecível.

Milk – A Voz da Igualdade (Milk)

Biografia de Harvey Milk, o primeiro político assumidamente homossexual a ser eleito nos Estados Unidos.
É claro que ainda existe um longo caminho a ser percorrido, mas que hoje os homossexuais são tratados com muito mais respeito e dignidade, ninguém pode negar. Esta aceitação e evolução dos diretos só aconteceu graças a um pequeno número de pessoas que se arriscou e, como dizem, “colocou a cara a tapa”. Harvey Milk foi uma dessas pessoas e o filme de Gus Van Sant é uma justa homenagem a este político. A interpretação de Sean Penn é fantástica.

Como o número de títulos que mereciam ser citados era muito grande, foram escolhidos filmes com temática lésbica, gay e transexual. E foi assim que chegamos ao top 10 da semana.

Quem escolhe os temas do Top 10 é você. É só enviar um email com o seu pedido para [email protected].