Nos anos 70, surgiu nos Estados Unidos um novo gênero cinematográfico, criado por diretores negros, que refletia os sentimentos da juventude, as conquistas do movimento dos direitos civis e a força política do movimento Panteras Negras. Nele, os heróis e anti-heróis negros eram os protagonistas das suas próprias histórias. Este cinema marginal ligado à música soul que levou todos os clichês às últimas consequências ficou conhecido como blaxploitation.

A mostra Tela Negra: o Cinema do Blaxploitation promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil em correalização com o SESC São Paulo, toma as telas em novembro no Rio de Janeiro e em São Paulo. Uma homenagem ao gênero que teve grande influência em Hollywood e ao redor do mundo.

Uma rara oportunidade de (re)ver os principais títulos blaxploitation, quase todos em película. Uma seleção de 15 filmes que formam um panorama do gênero, entre eles Rififi no Harlem (Cotton comes to Harlem), o primeiro filme blaxploitation; Super Fly, que faturou US$ 20 milhões nas bilheterias americanas em 1972, desbancando O Poderoso Chefão; os clássicos Sweet Sweetback´s Badaaassss Song, Shaft, Cleopatra e Foxy Brown; além de Jackie Brown, de Quentin Tarantino, um tributo ao blaxploitation.

Tela Negra: o Cinema do Blaxploitation terá debates sobre a influência do cinema afro-americano dos anos 70 na construção da imagem negra internacional e no Brasil, além de uma palestra sobre o surgimento e a inovação do gênero blaxploitation, que refletiu a efervescência da cultura negra americana e os movimentos de libertação africana pelo mundo nos anos 70, se fazendo sentir até hoje no cinema, na moda e na cultura hip-hop.

Star system black

O blaxploitation possibilitou o surgimento do protagonista negro no cinema americano. O trabalho de atores como Pam Grier, Tamara Dobson, Richard Pryor, Ron O’Neil, Max Julien, Richard Roundtree e Harry Belafonte abriu caminho para estrelas como Eddie Murphy, Danny Glover, Samuel Jackson, Denzel Washington, Halle Berry, Oprah Winfrey e Whoopy Goldberg. Os filmes ofereceram a possibilidade da juventude negra se identificar pela primeira vez com a imagem na tela.

As influências desse movimento são facilmente percebidas em várias gerações de cineastas americanos dos quais, o mais conhecido, é Quentin Tarantino com filmes como Pulp Fiction, Kill Bill e Jackie Brown. Os tipos criados pela blaxploitation foram incorporados por Hollywood e recuperados para a criação de personagens blockbusters como Rambo e Rocky, além de inúmeras super-heroínas. Também pode ser visto no trabalho de artistas de hip hop como Snoop Dogg, que sampleou as trilhas de clássicos do blaxploitation como The Mack e Superfly.

Os filmes da mostra

1. RIFIFI NO HARLEM (Cotton comes to Harlem), de Ossie Davis (1970, 35mm)
2. SWEET SWEETBACK BAADASSSSS SONG, de Melvin Van Peebles (1971, digital)
3. SHAFT – O FILME (Shaft), de Gordon Parks (1971, 35mm)
4. O GRANDE GOLPE DE SHAFT (Shaft’s Big Score), de Gordon Parks (1972,DVD)
5. SHAFT NA ÁFRICA (Shaft in Africa), de John Guillermin (1973, DVD)
6. SUPERFLY, de Gordon Parks Jr. (1972, DVD)
7. CLEOPATRA JONES, de Jack Starrett (1973, 35mm)
8. CLEOPATRA JONES E O CASSINO DE OURO (Cleopatra Jones and the Casino of Gold), de Charles Bail (1975, 35mm)
9. COFFY, de Jack Hill (1973, 35mm)
10. O CHEFÃO DO GUETO (Black Caesar), de Larry Cohen (1973, 35mm)
11. WATTSTAX, de Mel Stuart (1973, 35mm)
12. FOXY BROWN, de Jack Hill (1974, 35mm)
13. MANDIGO – O FRUTO DA VINGANÇA (Mandingo), de Richard Fleischer (1975, Bluray)
14. KILLER OF SHEEP, de Charles Burnett (1981, 35mm)
15. JACKIE BROWN, de Quentin Tarantino (1997, 35mm)

TELA NEGRA: O CINEMA DO BLAXPLOITATION

Rio de Janeiro:
1º a 13 de novembro de 2011 (terça-feira a domingo)
Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro – Sala de Cinema 1 (102
lugares)
Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel (21) 3808-2020
CINEPASSE: R$ 6 e R$ 3 (meia), válido durante a mostra, para acesso à sala de cinema 1, por meio de senhas. As senhas deverão ser retiradas 1h antes de cada sessão.

São Paulo:
3 a 13 de novembro de 2011 (quarta-feira a domingo)
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Cinema (70 lugares)
Rua Álvares Penteado 112, Centro, tels (11) 3113.3651 e (11) 3113.3652
Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia)

18 a 24 de novembro de 2011 (segunda a domingo)
Cine SESC
Rua Augusta, 2075, Cerqueira César, São Paulo – tel (11) 3087-0500
Ingressos: R$ 12,00 [6ª, sáb., dom. e feriados] / R$ 6,00 [idosos, estudantes, professores e usuários] / R$ 3,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes] / R$ 10,00 [2ª, 3ª e 5ª feira] / R$
5,00 [idosos, estudantes, professores e usuários] / R$ 2,50 [trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes] / R$ 8,00 [4ª feira] / R$ 4,00 [idosos, estudantes, professores e usuários] / R$ 2,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes]

Mais informações e a programação completa no site do evento.