Visto no Cinema(Seven Pounds, EUA, 2009)

Drama

Direção: Gabriele Muccino

Elenco: Will Smith, Rosario Dawson, Woody Harrelson, Michael Ealy, Barry Pepper, Robinne Lee

Roteiro: Grant Nieporte

Duração: 129 min.

Minha nota: 3/10

Nota do Vítor: 2/10

Nota da Thayze: 4/10

ZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZz
ZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZz
ZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZz

Se existe uma boa definição para os primeiros minutos (e muitos outros) de Sete Vidas, essa, criada pelo Vítor Verríssimo, é a melhor de todas. Arrastado e sem cabimento, o filme vai embalando os espectadores de maneira tão pouco convidativa que é difícil não cair no sono.

A história não tem pé nem cabeça e se não fossem as muitas imagens e enquadramentos interessantes os motivos para sair da sala de projeção eram maiores e melhores. As coisas só começam a melhorar depois da entrada de Rosario Dawson. Não pela beleza da morena, mas porque sua aparição começa a dar algum ritmo ao filme.

Aí chegamos a um final exageradamente melodramático até para os padrões estadunidenses. Como se não fosse suficiente todo o dramalhão, ainda temos uma cena onde um personagem, depois de quase duas horas de projeção, explica tudo aquilo o que vimos (como se o público fosse imbecil e incapaz de compreender o que acabara de ver) a outro e, como tudo pode ficar ainda pior, o desfecho derrama as lágrimas que ainda resistiram até então.

Uma grande bobagem, que não se preocupa com tempo, ritmo, verossimilança e muito menos acredita na capacidade dos espectadores. Daqueles que deve ser visto por obrigação ou castigo.

Para não dizer que tudo é ruim, Will Smith tem um bom olhar triste e a fotografia de Philippe Le Sourd é ok.

Um Grande Momento

Apesar de tudo, existe um bom momento. Vamos brincar de “e se…”

Links

Site Oficial

Imdb