(Sequestro, BRA, 2009)

Festival do Rio 2009Em seu novo filme Wolney Atalla, diretor de A Vida em Cana, se volta à realidade policial para falar de um dos crimes mais cruéis da história: o sequestro.

Depois de acompanhar por quatro anos a atividade da Divisão Anti-Sequestro de São Paulo, o número de eventos e imagens coletadas é impressionante e somado a depoimentos de vítimas e imagens de arquivo, constrói um filme ao mesmo tempo assustador e emocionante.

Ao tratar de um tema tão pesado, a opção por uma estrutura menos convencional foi acertada. Depois de uma interssante abertura de colagens, a montagem intercalada, com o sequestro de José Ibiapina servindo como fio condutor entre vários outros, não cansa e nem sobrecarrega o espectador.

Na tela passamos dos fatos narrados por vítimas, parentes de vítimas, policiais, sequestradores e conhecemos técnicas de abordagem, investigação e libertação dos reféns. Casos de repercussão nacional como Abílio Diniz e Washington Olivetto se misturam a outros menos conhecidos.

A tensão oscila o tempo todo e toma fôlego a cada telefonema para a família após o resgate. A emoção do salvamento é bem explorada pelo diretor e chega a provocar lágrimas no público.

Tecnicamente, o filme funciona bem, tropeçando em alguns problemas de som direto e nos créditos dentro do filme, que também podem confundir um pouco.

Daqueles que merecem ser vistos, tanto por seu tema como por seu cinema.

Um Grande Momento

O delegado falando sobre o dia em que se emocionou.

Links

Documentário
Direção: Wolney Atalla
Roteiro: Wolney Atalla, Caio Cavechini
Duração: 94 min.
Minha nota: 7/10