(Samba & Jazz, EUA/BRA, 2015)

Documentário
Direção: Jefferson Mello
Roteiro: Jefferson Mello
Duração: 90 min.
Nota: 6 ★★★★★★☆☆☆☆

O documentário Samba & Jazz vai buscar identificações entre esses dois gêneros musicais, comparando posturas, ligações musicais, eventos e a história por trás da musicalidade em lugares onde os ritmos têm mais personalidade, como Rio de Janeiro e Nova Orleans. O filme é dirigido pelo fotógrafo Jefferson Mello que, amante do jazz, escreveu o livro “Os Caminhos do Jazz”.

Apesar do incômodo causado pela tentativa de sobreposição musical no início do filme, o que vem a seguir é bastante interessante. Como músicas criadas por ancestrais africados, que trouxeram às Américas sua cultura musical e, ao chegar por aqui, incorporaram a ela diferenciais regionais, há muita coisa em comum entre o nosso samba e o jazz deles.

A começar pela constituição dos locais, onde há uma miscigenação e uma presença muito forte da música, do ritmo e da alegria de seus habitantes. Entre outras semelhanças, assim como no Brasil, em Nova Orleans existe o carnaval, também com um desfile em forma de cortejo, fantasias e toda a ansiedade que precede o evento.

Entre os entrevistados, musicistas brasileiros e americanos, há uma identificação muito imediata da paixão pela música que os move e um apuro muito grande quando a questão é rítmica. Além de uma história parecida na afirmação social dos gêneros musicais, que antigamente executados, geralmente, por uma minoria discriminada, tinha que buscar na aparência meios de combater o preconceito.

Nas muitas imagens dos eventos locais, é possível também identificar posturas e trejeitos similares, seja em festividades ou em despedidas. Parecidas também são as associações de músicos, seja nas escolas de samba, destacada no documentário pela Império Serrano, passando pelo lendário Cacique de Ramos; seja nas organizações de jazz, como a Young Men Olimpian.

Musicalmente também há uma identificação, embora mais implícita, já que as contraposições são quase todas feitas entre percussões e metais. Mas ficam mais explícitas em depoimentos, como o da sambista Alcione, que afirmou ser muito comum, quando nos Estados Unidos, começar tocando samba e, quando percebe, já estar cantando jazz. Como se um gênero trouxesse naturalmente a memória melódica do outro.

Com belas imagens e bons depoimentos, Samba & Jazz é um filme interessante, apesar da montagem pouco original e, de certo modo, mesmo com trechos musicais que percorrem toda sua duração, carente de músicas.

Ainda que tenha problemas, tem muito a dizer sobre a questão étnica, de origens iguais, e é bastante interessante também para aqueles que gostam de música e já perceberam a familiaridade entre os dois gêneros musicais.

Um Grande Momento:
Alcione com Só Danço Samba x Gregg Stafford com What a Wonderful World.

Samba-e-jazz_poster

Links

No IMDb