Hoje (5/12), é um sábado triste para o teatro e o audiovisual brasileiros, pois uma de suas maiores referências partiu no início dessa manhã. A atriz, bailarina, cantora, diretora e produtora Marília Pêra faleceu às 6h, aos 72 anos, depois de dois anos de luta contra um câncer de pulmão.

Marília conseguia se destacar em todos os trabalhos que aceitava fazer. Foi assim na televisão, com telenovelas como Brega & Chique, minisséries como O Primo Basílio ou em seriados como Pé na Cova, sua última participação na telinha; e no teatro, onde conquistou dois prêmios Molière por seus trabalhos nas peças Apareceu a Margarida e Brincando em Cima Daquilo, além da participação em inúmeros trabalhos.

A atriz também é uma figura importantíssima do cinema nacional, e esteve presente em filmes relevantes da nossa história como Pixote, a Lei do Mais Fraco, Bar Esperança, Central do Brasil e o documentário Jogo de Cena. Marília parte deixando dois projetos em fase de pós-produção: a comédia Tô Ryca e o drama Dona do Paraíso.

Para homenageá-la, vamos relembrar o brilho dessa verdadeira dama da interpretação em dez momentos que marcaram sua carreira no cinema.

O-Homem-que-comprou-o-mundo_lista

O Homem que Comprou o Mundo
A estreia de Marília Pêra nos cinemas aconteceu com essa comédia sobre um homem que ficava trilionário e era mantido cativo para não destruir a economia mundial. O longa-metragem foi dirigido por Eduardo Coutinho.

Pixote_lista

Pixote, a Lei do Mais Fraco
Entre todas as suas participações a mais memorável talvez seja como sua Sueli, deste pesado filme de Hector Babenco. A atuação foi reconhecida fora do Brasil, onde a atriz recebeu importantes prêmios da crítica estadunidense.

Bar-esperanca_lista

Bar Esperança
Neste longa dirigido por Hugo Carvana, nos deparamos com várias figuras interessantes em um bar de Ipanema. Entre eles está Marília, como a atriz Ana.

Anjos-da-noite_lista

Anjos da Noite
Mudando de cidade, agora na noite paulistana, o diretor Wilson Barros também une diversas figuras que buscam fugir da solidão. Marília vive novamente uma atriz, Marta Brum.

Dias-melhores-virao_lista

Dias Melhores Virão
Na brincadeira metalinguística de Cacá Diegues, a dubladora Maryalva Matos, a Mary, sonhava em se tornar uma estrela de Hollywood.

Tieta-do-agreste_lista

Tieta do Agreste
Nesta adaptação da obra de Jorge Amado, dirigida também por Cacá Diegues, Marília Pêra dá vida à amarga Perpétua, irmã da protagonista.

Central-do-brasil_lista

Central do Brasil
Marília também esteve presente em um dos mais conhecidos nacionais depois da retomada, dirigido por Walter Salles Jr. Aqui ela vive a solidária Irene, amiga da protagonista Dora.

Jogo-de-cena_lista

Jogo de Cena
Mais uma vez, Marília e Coutinho se encontram nessa obra-prima documental do nosso tempo.

Vestido-de-noiva_lista

Vestido de Noiva
Não poderia faltar uma adaptação para cinema de um dos maiores dramaturgos do Brasil, Nelson Rodrigues. No filme, dirigido por Joffre Rodrigues, Marília Pêra é Madame Clessy, a dona do diário encontrado por Alaíde.

Embarque-imediato_lista

Embarque Imediato
E encerramos nossa homenagem com o último filme da atriz lançado nos cinemas. Dirigido por Alan Fiterman, o longa fala sobre a relação entre uma aeromoça mais velha e um funcionário do aeroporto que só pensa em ir embora do Brasil.

Vá em paz, Marília Pêra! E muito obrigado por tudo!

Foto de capa: Leonardo Aversa|Agência O Globo
Demais fotos: Divulgação e Cinemateca Brasileira