(Monsieur Lazhar, CAN, 2011)

Drama
Direção: Philippe Falardeau
Elenco: Mohamed Fellag, Sophie Nélisse, Émilien Néron, Marie-Ève Beauregard, Vincent Millard, Seddik Benslimane, Louis-David Leblanc, Danielle Proulx, Francine Ruel
Roteiro: Philippe Falardeau
Duração: 94 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

Tentar entender e reviver uma pessoa fazendo aquilo que ela fazia, levar uma imagem consigo e nem sempre respeitá-la, reviver uma experiência várias vezes em qualquer situação. Essas são algumas das maneiras de encarar a morte, tentar entender e superar. O filme canadense O Que Traz as Boas Novas usa o ambiente escolar, um espaço abrangente e facilmente identificável, para, com muita sensibilidade, trazer a questão à tona e é encantador.

Em uma escola de ensino fundamental, uma professora é encontrada morta dentro da sala de aula. A traumatizada turma fica sem professor até que um imigrante argelino, Bachir Lazar, oferece-se para o cargo. A inadequação do sujeito com as normas pedagógicas atuais e seu desconhecimento do novo conteúdo programático causa estranhamento entre os alunos, mas com o tempo todos vão se ajustando. É junto com esse homem que aquelas crianças vão enfrentar a morte e tentar compreendê-la, mesmo contra as orientações da direção da escola.

O longa trabalha questões profundas em um mundo onde impera a frieza e as crianças são tratadas com total distanciamento por aqueles que não fazem parte da família. Além de abordar a dificuldade em compreender que sentimentos são individualizados e a generalização é impossível e criticar uma tendência mundial de achar que temas espinhosos não precisam ser debatidos, basta que se tente escondê-los, e cada um trabalhe com isso como puder.

Interessante por sua temática, o filme tem um roteiro acertado e funcional, que tenta fugir do melodrama fácil e de apelações comuns em filmes de salas de aula. Philippe Falardeau, roteirista e diretor, busca manter o equilíbrio no ritmo, dando uma certa liberdade de interpretação ao espectador, que está envolvido pelos personagens da trama.

Enquanto tudo vai bem com o roteiro, a fotografia de Ronald Plante (A Face Oculta da Lua) tem seus momentos inspirados e a montagem de Stéphane Lafleur funciona a contento. O elenco infantil é um achado, com destaque para Émilien Néron e Sophie Nélisse, mas o filme é mesmo de Mohamed Fellag. Sua interpretação do homem contido e traumatizado que chega para mudar a vida dos outros e também tem sua vida profundamente alterada é fantástica.

O Que Traz Boas Novas, tradução literal do nome do professor, é um filme simples e despretensioso que chega para mostrar que encarar alguns assuntos é sempre mais produtivo do que empurrá-los para baixo do tapete, por mais dolorosos e tristes que sejam, e para trazer um pouco de carinho a um mundo que parece ter se esquecido do valor de pequenos gestos e transformou o contato em uma espécie de ato proibido.

Um Grande Momento:
A explosão de Simon.

O-que-traz-boas-novas_poster

Links

No IMDb Site Oficial