(O Ornitólogo, POR/FRA/BRA, 2016)
Drama
Direção: João Pedro Rodrigues
Elenco: Paul Hamy, João Pedro Rodrigues, Xelo Cagiao, Juliane Elting, Chan Suan, Han Wen
Roteiro: João Pedro Rodrigues
Duração: 117 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

Delirando sobre a história de Santo Antônio, O Ornitólogo conta uma quase fábula de autoconhecimento e transformação, de como o exterior faz com que o interior se releve e se modifique, de como a vida pode assumir novos rumos quando assim se deseja. E como é eficiente o novo filme de João Pedro Rodrigues.

O protagonista do filme é Fernando, um ornitólogo – o que dá ao filme certo tom autobiográfico, já que João Pedro Rodrigues também observava pássaros. Ele está sozinho em uma viagem de observação, onde não só ele procura pelos pássaros, mas também é procurado por eles. No começo de sua jornada, percebe-se que está doente, já que seu parceiro insiste em saber pelo celular se ele tomou os remédios que deveria.

Mas aí vêm os imprevistos. Como o próprio Santo Antônio em sua aproximação com a ordem franciscana, Fernando é levado pela correnteza e em sua estrada cruza com diversas figuras: chinesas católicas que percorrem o caminho de Santiago de Compostela, amazonas fantásticas, rituais de Tengu, além de ter a chance de ter experiências libertadoras.

o-ornitologo_interno

Tudo é livre em O Ornitólogo, desde a libertação carnal de Fernando, que acontece depois de um intenso encontro com aquele que, fora do filme, aparece angelical na hoje principal iconografia do santo católico, até a sua literal transformação. A confirmação de seu caminho, no embate com Tomé, em outra referência muito explícita à bíblia, chega naturalmente.

Entre toda a mitologia experimentada pelo homem que encontra a fé em sua jornada, há muito do catolicismo, religião muito presente – explícita ou implicitamente – em boa parte da produção artística portuguesa, e tudo acontece de maneira natural, sem que haja a intenção de doutrinar ou chocar quem assiste ao filme. Mesmo passagens aleatórias, como a observação das imagens em um ponto do caminho, fluem bem no conjunto elaborado por Rodrigues.

É curioso que o diretor consiga entregar, em um longa tão pessoal, que fala justamente do se encontrar, tudo que havia sido prometido em seu começo no cinema com o promissor O Fantasma, mas ainda não havia se concretizado.

O Ornitólogo é um filme que mexe com o espectador. Muito bem filmado e equilibrado em sua ação, concilia natureza e liberdade, catolicismo e homossexualidade, vida e transformação. E, com sua releitura da história de um dos mais conhecidos santos católicos, que nasceu em Lisboa e morreu em Pádua, faz com que se busque mais sobre a história do santo, permanecendo assim com quem o assistiu por bastante tempo.

Um Grande Momento:
A transformação.

o-ornitologo_poster

Links

No IMDb