O-Menino-Mutante_cenaImagine você poder se transformar em tudo aquilo que tem vontade. Viver e sentir tudo o que for possível, seguindo sua intuição e sua criatividade. Essa é a ideia principal de O Menino Mutante, curta-metragem de animação produzido pela Cara Preta Filmes e pelo Grupo Exemplus de Comunicação que conta a história deste menino curioso vivendo um dia de grandes experiências.

Depois de ser aprovado no edital do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF), com personagens já definidos, story board e arte conceitual prontos, o curta está ganhando vida. E, com uma história contagiante e um personagem tão carismático, difícil não sentir aquela vontade de ver o quanto antes O Menino Mutante nas telonas.

O roteiro, de Tiago Freitas, que também dirige o curta, é baseado no livro infantil de mesmo nome escrito por seu avô, Mauro Sérgio Fernandes. “Como conheço a história, há muitos anos, tenho uma relação muito forte com o personagem”, diz Freitas. Para ele, a adaptação é a realização de um sonho. “O projeto já é antigo e agora pudemos colocá-lo em prática”.

Trabalhando há anos em audiovisual, Freitas foi o responsável pela edição de som do curta-metragem O Lobisomem e o Coronel, premiado em importantes festivais, como Anima Mundi e Cine Ceará. Agora em sua estreia na direção, ele está empolgado. “A correria é grande, tem muito trabalho, mas vale a pena.”

A equipe técnica foi cuidadosamente escolhida. O desenho e a direção de arte são assinados pelo ilustrador Tiago Palma, do estúdio Bananazoo Design, um dos parceiros do projeto. A animação por João Rabelo. “Ainda que seja o primeiro filme deles, os dois já trabalham com isso há muito tempo e conhecem muito do processo”, afirma o diretor.

O desenho de som e os efeitos sonoros, ficaram por conta do experiente Roger Lima, da White Noise Lab. Vitor Fonseca, da Blubeat Lab, cuida da captura de som e auxilia na finalização do áudio. A canção tema é assinada pela banda brasiliense ETNO.

Segundo as previsões de Freitas, o filme estará completo em maio e deve estar pronto para começar sua carreira de festivais em junho. “A ideia é inscrevê-lo no Festival de Brasília de Filmes Brasileiros e depois partir para outros festivais”. Num futuro, o filme será disponibilizado pela internet. “Quanto mais gente assistir, melhor.”

O problema agora é segurar a ansiedade para ver O Menino Mutante vivendo suas aventuras, mas aí vem a boa notícia: o Cenas de Cinema vai acompanhar de perto todas as etapas da produção e vem aqui contar tudo para vocês. Semana que vem tem mais.