(O Homem Mau Dorme Bem, BRA, 2009)

O nome do novo filme do diretor veterano Geraldo Moraes, à primeira vista, remete a um dos filmes menos comentados da filmografia de Akira Kurosawa: Homem Mau Dorme Bem. Com histórias e personagens bem diferentes, o exemplar produzido pelo Distrito Federal também trata de uma vingança.

As vidas de três pessoas se cruzam em um posto de beira de estrada, no interior do interior do Mato Grosso, e, embora não pareçam ter muita coisa em comum, essas pessoas estão ligadas por acontecimentos anteriores.

Ainda que tenha alguns problemas de roteiro, o filme ganha muitos pontos por tentar voltar ao antigo modo de fazer cinema. Em um momento onde a compreensão do que é visto está sempre acompanhada de descrições, explicações, falas e até mesmo texto, é curioso assistir a um filme que confie tanto em sua mensagem como na capacidade do público de compreendê-la.

O mau-costume, porém, causa algum desconforto nos que não estão preparados para a experiência. A ausência de textos internos como “há dois anos”, ou similares, nas elipses de tempo, por exemplo, parece incomodar, mas abre os olhos do público e do cinema como um todo para o excesso de informação e esvaziamento do significado áudio-visual, para a transformação do cinema em uma espécie de complemento da televisão e para a pasteurização da verborragia idiotizante do cinemão estadunidense.

Apesar de algumas escorregadas, como a desnecessária conversa com o cachorro, Geraldo Moraes aposta na criação dos personagens e no silêncio explicativo e o faz muito bem. A idéia de filmar quase toda a história em um posto de gasolina, como em um road-movie às avessas, também é curiosa, como é curioso o Brasil escondido dentro de si mesmo que a quem o público é apresentado.

Com boas interpretações de Simone Iliescu, Bruno Torres e Luiz Carlos Vanconcelos e uma curiosa história de amor, vingança e sobrevivência, O Homem Mau Dorme Bem, está longe de ser perfeito, mas diverte e entretem. Além de ter tanto significado ao reapostar em uma linguagem quase esquecida por aqui.

Um Grande Momento

Gosto do suspense do início.


Prêmios e indicações (as categorias premiadas estão em negrito)

Festival de Brasília
: Filme

Drama
Direção: Geraldo Moraes
Elenco: Luíz Carlos Vasconcelos, Simone Iliescu, Bruno Torres, Mariana Nunes, Alex Ferro, André Reis, Chico Sant’anna
Roteiro: Geraldo Moraes
Duração: 90 min.
Minha nota: 6/10