(Assalto ao Trem Pagador, BRA, 1962)

Policial

Direção
: Roberto Farias

Elenco: Reginaldo Farias, Eliezer Gomes, Jorge Dória, Átila Iório, Ruth de Souza, Helena Ignez, Luiza Maranhão, Dirce Migliaccio, Miguel Rosenberg, Grande Otelo, Chica Xavier, Nelson Dantas

Roteiro: Alinor Azevedo, Luiz Carlos Barreto e Roberto Farias

Duração: 102 min.

A grande vantagem de assinar o Canal Brasil é ter a oportunidade de rever clássicos do cinema nacional, assim como este.

Os filmes brasileiros têm o ibope baixo pela fase fraquíssima que o cinema atravessou entre os anos 70 e 90. Apesar de algumas poucas coisas muito boas produzidas na época, sobressaiam os filmes com forte apelo erótico. Isso fez com que o cinema nacional não tivesse o papel de destaque que deveria com o seu público e, muito do cinema antigo, é, até hoje, completamente desconhecido do público mais jovem.

Graças a filmes lançados depois de 1990 isso mudou um pouco e o cinema nacional voltou a ser procurado e pesquisado pelo grande público.

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de um dos mais famosos roubos da história brasileira: o assalto ao trem pagador, em 1960, no estado do Rio de Janeiro. O grupo dos assaltantes é composto por pessoas pobres e faveladas que anseiam por um futuro melhor para si e para seus familiares.

O cabeça do plano, Grilo Peru, e o chefe da quadrilha, Tião Medonho, representam a diferença social entre as pessoas e as permissões que a cor da pele e dos olhos concede a um e proíbe a outro.

Reginaldo Farias, irmão do diretor, e Eliezer Gomes ficam encarregados de defender os papéis principais e conseguem concluir o trabalho satisfatoriamente. O resto do elenco também está muito bem e não é estranho se algumas pessoas passarem o filme todo falando: “olha é aquele ator…”

Auxiliado pelo roteiro, o filme é uma preciosidade como documento histórico uma vez que, apesar de todo a licença poética, se preocupa em preservar o local e os elementos policiais.

Apesar de ter dirigido os filmes de Roberto Carlos e algumas chanchadas, Roberto Farias acabou se destacando por filmes com uma temática social e política muito forte (caso também do posterior Pra Frente Brasil).

Obra indispensável do cinema nacional, vale a pena por seu valor histórico e afetivo. Deve ser vista por todos.

Um Grande Momento

O confronto final de Grilo Peru e Tião Medonho.