Muitos-homens-num-so_cena

Foram anunciados nesta sexta-feira (2), os vencedores da 18ª edição do Cine PE Festival Audiovisual. A ficção Muitos Homens Num Só, de Mini Kerti, foi o grande vencedor da noite, com um total de 10 prêmios. Entre eles, os de filme, direção, roteiro, ator e atriz.

A cerimônia, apresentada por Deborah Secco e Bruno Torres, aconteceu no Teatro Santa Isabel e foi marcada por diversas homenagens. Neste ano, o festival fez questão de lembrar os 50 anos de Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, e homenageou o ator e diretor José Wilker, falecido no último dia 5 de abril. O prêmio destinado a Wilker desde o início do ano foi entregue à sua filha, Isabel; sua companheira, Cláudia Montenegro, e outros familiares.

O jornalista baiano João Carlos Sampaio também foi homenageado. Conhecido crítico brasileiro, ele estava cobrindo o festival e faleceu na manhã da sexta-feira, vítima de infarto fulminante. O júri da crítica, em nome da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), também homenageou Sampaio, lendo um texto seu ao entregar o prêmio ao documentário português E Agora? Conta-me, de Joaquim Pinto.

Confira a lista completa de vencedores:

Calungas
Filme: Muitos Homens Num Só, de Mini Kerti
Direção: Mini Kerti (Muitos Homens Num Só)
Ator: Vladimir Brichta (Muitos Homens Num Só)
Atriz: Alice Braga (Muitos Homens Num Só)
Ator Coadjuvante: Alvaro Rudolphy (Romance Policial, de Jorge Durán) e Pedro Brício (Muitos Homens Num Só)
Atriz Coadjuvante: Roxana Campos (Romance Policial) e Pia Engleberth (Anni Felici)
Roteiro: Leandro Assis (Muitos Homens Num Só)
Fotografia: Luis Abramo (Romance Policial)
Direção de Arte: Kiti Duarte (Muitos Homens Num Só)
Trilha Sonora: Dado Villa-Lobos (Muitos Homens Num Só)
Edição de Som: Tomás Alem (Muitos Homens Num Só)
Montagem: Mirco Garrone (Anni Felici, de Daniele Luchetti)

Prêmio do Júri Popular: Muitos Homens Num Só, de Mini Kerti
Prêmio da Crítica – Júri da Abraccine: E Agora? Lembra-Me, de Joaquim Pinto (Portugal).

Prêmios especiais do júri oficial

Menção Honrosa: “Para o filme O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza Zenha (MG), por ampliar a proposta de uma produção brasileira que destaca fatos da história nacional para um público infantil”.
Menção Honrosa: “Para o elenco infantil dos filmes Anni Felici, de Daniele Luchetti (Itália), e O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza Zenha (MG), em especial para o ator mineiro Lino Facioli.”
Menção Honrosa: “Para o filme Mundo Deserto de Almas Negras, de Ruy Veridiano (SP), pela inventividade e ousadia ao construir um filme que utiliza o espírito ‘DJ’ na construção de sua narrativa.”