(The Wedding Date, EUA, 2005)

Romance
Direção: Clare Kilner
Elenco: Debra Messing, Dermot Mulroney, Amy Adams, Jack Davenport, Sarah Parish, Jeremy Sheffield, Holland Taylor, Jolyon James, Peter Egan
Roteiro: Elizabeth Young (livro), Dana Fox
Duração: 90 min.
Nota: 6 ★★★★★★☆☆☆☆

Filminhos água com açucar, conhecidos como comédias românticas, são previsíveis, cheios de clichês, personagens rasos, videoclipes e reviravoltas não muito justificáveis. Todo mundo sabe disso, assim como sabe que não é possível exigir uma qualidade técnica superior em títulos do gênero, pois esta não é a primeira preocupação de quem os faz. Independente de qualquer coisa, esse gênero tem seu público cativo e faz suspirar adolescentes, mulheres e pessoas apaixonadas pelos quatro cantos do mundo.

Muito Bem Acompanhada conta a história de Kat, uma mulher bem sucedida profissionalmente, mas bem mal resolvida sentimentalmente. Depois de ser abandonada pelo noivo, de quem esteve junto por sete anos, ela resolve que só voltará a se encontrar com a família na Inglaterra se puder demonstrar que está muito bem e, quem sabe, causar algum ciúme no ex-namorado.

A ocasião é o casamento da invejosa e mimada irmã caçula e o plano de Kat é contratar um acompanhante que saiba se comportar em qualquer situação e cause inveja por onde passar. Ela escolhe o afamado Nick, saca uma pequena fortuna de sua poupança e parte com o bonitão para Londres.

Nick, vivido por Dermot Mulroney (O Casamento do Meu Melhor Amigo), é mesmo um homem encantador e consegue, além de se relacionar bem com todas as pessoas da família da contratante, conquistar uma boa parte do público feminino que acompanha o filme. Debra Messing (Quero Ficar com Poly) leva bem sua Kat e consegue convencer como uma mulher insegura e carente que deixou de acreditar em si mesmo.

O elenco de apoio também é um dos charmes do filme. Amy Adams (Encantada) vive a irmã insuportável; Jack Davenport (Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra), o seu noivo; Holland Taylor (D.E.B.S.), a mãe das duas, e Sarah Parish (O Amor Não Tira Férias), a prima doidinha.

O filme segue o mesmo percuso de outros titulos, mas se apóia na química do casal central e sabe como usar bem as canções de Michael Bublé, Maroon 5 e outros nomes fortes das baladas românticas para envolver. Além disso, tem uma história bem bonitinha para contar, ainda que apele para aquele ideal romântico absurdo e causador de tanta ansiedade.

Típica comédia romântica, sem invenções e pretensões. Bom para ver debaixo do edredon, com aquele balde de pipoca, agarradinha com alguém, durante a TPM ou quando você só quer passar um tempinho sem pensar muito.

Um Grande Momento

Fazendo as pazes dançando.

Links

Submarino