Como combinado, vou falar agora dos filmes que não estão concorrendo no X Festival Internacional de Cinema de Brasília.

O Festival começa na próxima quarta-feira, dia 29, e vai acontecer na Academia de Tênis. Na abertura serão exibidos o curta Pajerama, de Leonardo Cadaval, e Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen. As sessões são abertas ao público, com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Pajerama conta a história de um indiozinho que começa a ter experiências estranhas com o seu habitat e descobre os mistérios do tempo e do espaço. Vicky Cristina Barcelona é o primeiro filme de Woody Allen rodado na Espanha e conta a história de duas juvens estadunidenses que resolvem passar o verão por lá e se envolvem com um pintor e sua estranha mulher. No elenco Rebecca Hall, Scarlett Johansson, Penélope Cruz e Javier Bardem.

O filme Sob Controle, da diretora Jennifer Lynch encerra o festival. Ela é filha de David Lynch e andava sumida desde seu filme Encaixotando Helena, de1993.

Do dia 30 de setembro a 8 de outubro acontecem as sessões de filmes e as mostras competitivas. Os filmes que não concorrem foram incluídos na Mostra Primeira Visão. São títulos nacionais e estrangeiros que tratam dos mais diversos temas e dos mais diversos gêneros.

Os filmes brasileiros selecionados para o FIC foram:


Barra 68 – Sem Perder a Ternura (2001), do renomado documentarista Vladimir Carvalho Documentário

Pindorama – A Verdadeira História dos 7 Anões, de Roberto Berliner, Lula Queiroga e Leo Crivelare Documentário
Pachamama, de Eryck Rocha Documentário
Panair do Brasil, de Marco Altberg Documentário
Harmonia do Inferno, de Gui Castor Documentário

Ainda Orangotangos (2008), de Gustavo Spolidoro. Ficcional, o filme se passa em Porto Alegre, no dia mais quente do ano. Um casal de imigrantes chineses cruza a cidade em um vagão de metrô. Doentes e cansados, eles tentam ajudar um ao outro, ao mesmo tempo em que enfrentam a desconfiança dos demais passageiros e a incompreensão de sua língua. O chinês vagueia pelos corredores da estação de metrô e pelo mercado público da cidade, em busca de ajuda. É o início de uma série de situações-limite vividas por diversos habitantes da cidade. Drama

Meu nome é Dindi, de Bruno Safadi Drama
O Demoninho de Olhos Pretos, de Haroldo Barbosa Drama
Síndrome de Pinocchio, de Thiago Moysés Drama
Vingança, de Paulo Pons Drama
Ouro Negro, de Isa Albuquerque Drama

Além destes títulos outros também foram co-produzidos pelo Brasil, como:

Leonera, de Pablo Trapero, em co-produção com a Argentina Drama
O Ministério da Estrada de Sintra, de Jorge Paixão da Costa, Portugal Aventura
Because We Were Born, de Jean Pierre Duret e André Santana, França Drama
Terra Vermelha, de Marco Bechis, Itália Drama
Café dos Maestros, de Miguel Kohan, Estados Unidos, Grã-Bretanha e Argentina Documentário

Os títulos internacionais vêm de vários continentes e culturas diferentes. Vou separá-los por país.

Argentina

La Rabia, de Albertina Carri Drama


Canadá

Fabricando Problemas – Desmascarando Michael Moore, de Debbie Melnyk e Rick Caine Documentário

China

Knitting, de Lichuan Yin Drama
Cinzas do Passado – Redux, de Kar Wai Wong. Ação

Chile

A Filha do General, de María Elena Wood Documentário

Espanha

El cants dels ocells, de Albert Serra Drama

Estados Unidos

A Princesa do Nebraska Drama e Mil Anos de Oração Drama, de Wayne Wang.
I am Because You Are, de Nathan Rissman Documentário
Wackness, de Jonathan Levine Comédia
Rio Congelado, de Courtney Hunt Drama
Fatal, de Isabel Coixet Drama
Truble the Water, de Tia Lessin e Carl Deal Documentário
Sinédoque, Nova Iorque, de Charlie Kaufman Comédia

França

Monsier Morimoto, de Nicola Sornaga
Durakovo: village of fools, de Nino Kirtadze Documentário
Um Conto de Natal, de Arnaud Desplechin Comédia
Baby Love, de Vincent Garenq Comédia
A Fronteira da Alvorada, de Philippe Garrel Drama

Grã-Bretanha

Derek, de Isaac Julien Documentário
Filth and Wisdom, de Madonna Comédia


Holanda

Dunya & Desie, de Dana Nechushtan Drama

Irã

Lonely tunes of Tehran, de Saman Salour Drama

Israel

Uma Mãe Trabalhadora, de Limor Pinhasov Documentário
O Gesto Obsceno, de Tzahi Grad Comédia

Itália

Zero, de Franco Fracassi e Francesco Trento Documentário
Tutta la vita davanti, de Paolo Virzi Comédia
La Via del Petroleo, de Bernardo Bertolucci Documentário

Jordânia

Capitão Abu Raeb, de Amin Matalga Drama


Coréia do Sul

Beyond The Years, de Im Kwon-Taek Drama
Night and Day, de Hong Sangsoo Drama

Polônia

Ainda vivo – Um filme sobre Krzysztof Kieslowski, de Maria Zmarz-Koczanowicz Documentário

Rússia

Bloqueio, de Sergei Loznitsa Documentário

Uruguai

Acné, de Federico Viroj Comédia

Os filmes produzidos por mais de um país são:

La León, de Santiago Otheguy (ARG/FRA) Drama
Ninho Vazio, de Daniel Burman (ARG/FRA/ ESP/ITA) Comédia
O Silêncio de Lorna, de Jean-Pierre e Luc Dardenne (BEL/FRA/ITA/ALE) Drama
Youth Without Youth, de Francis Ford Coppola (EUA/ALE/FRA/ITA/ROM) Drama
Salvando o Jazz, de Leslie Woodhead (EUA/GBR) Documentário
A Jihad for Love, de Parvez Sharma (EUA/GBR/FRA/ALE/AUS) Documentário
Um lugar chamado Brick Lane, de Sarah Gavron (GBR/IND) Drama
Quando Você Viu Seu Pai Pela Última Vez?, de Anand Tucker (GBR/IRL) Drama
Caos Calmo, de Antonello Grimaldi (ITA/GBR) Drama
Giorni e Nuvole, de Silvio Soldini (ITA/SUI) Drama
Sob a Mesma Lua, de Patricia Riggen (MEX/EUA) Drama
A Cor das Olivas, de Carolina Rivas (MEX/PAL) Documentário
Nucingen Haus, de Raoul Ruiz (ROM/FRA/CHI) Terror

A Academia de Tênis fica no Setor de Clubes Esportivos Sul – SCES Trecho 4, Conjunto 05, Lote 1B. O preço das sessões é de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia) e cada sala exibe uma média de três filmes por dia.