Mais um ano que se acaba e janeiro de 2017 já está logo ali. Quem chega com o mês é a Mostra de Cinema de Tiradentes, realizada na cidade histórica mineira há 20 anos. Considerada a abertura oficial dos eventos cinematográficos brasileiros, a mostra é conhecida por dar espaço ao que há de novo na produção brasileira, com uma seleção sempre voltada a experiências diversas de audiovisual.

Neste ano, em sua 20ª edição, que acontece de 20 a 28 de janeiro, o tema principal da Mostra de Tiradentes é Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção. A ideia do curador da mostra, Cleber Eduardo, é unir os filmes selecionados e as mesas de discussão para fundamentar um debate sobre um cinema que reage a seu espaço e a seu tempo histórico.

“A discussão a se propor é que a reação aos recentes acontecimentos políticos ou sociais, através do cinema, só terá força se o cinema for colocado como carro-chefe, e não como palanque, megafone, hashtag ou militância”, afirma Cleber Eduardo. Para ele, “se a militância estiver à frente dos filmes, o efeito será limitado. Para um cinema verdadeiramente político, a estética deve estar ao lado ou à frente do político”.

As homenageadas desta edição serão as atrizes e diretoras Helena Ignez e Leandra Leal. Entre as homenagens estão a entrega do Troféu Barroco, a exibição de filmes dirigidos e atuados por ambas e o debate O Percurso de Helena Ignez e Leandra Leal.

Mostra Aurora

Em 2017 a mais inventiva mostra de Tiradentes completa dez anos. É a Mostra Aurora que, segundo Cleber Eduardo, está inteiramente relacionada com o tema principal da Mostra de Tiradentes. Os longas a serem exibidos apresentam, de maneiras muito distintas entre si, algum tipo de olhar sobre o contexto em que o Brasil está”, destaca o curador.

Os filmes selecionados da Mostra Aurora este ano são:

Baronesa (MG), documentário de Juliana Antunes
Corpo Delito (CE), documentário de Pedro Rocha
Eu Não Sou Daqui (MG), ficção de Luiz Felipe Fernandes e Alexandre Baxter
Histórias que Nosso Cinema (Não) Contava (SP), documentário de Fernanda Pessoa
Sem Raiz (SP), ficção de Renan Rovida
Subybaya (MG), ficção de Leo Pyrata
Um Filme de Cinema (SP), ficção de Thiago B. Mendonça

Curtas-metragens

Importante palco da produção curtametragista do Brasil, a Mostra Tiradentes traz esse ano uma seleção com 72 curtas-metragens, de 11 estados brasileiros, divididos em dez mostras temáticas.
Uma das novidades da edição é a Mostra Experimentos, que reúne filmes com novas proposições nas relações entre som e imagem.

Para conhecer a lista completa de selecionados, clique aqui.

Oficinas

Até o dia 5 de janeiro estão abertas as inscrições para as oficinas gratuitas de cinema da mostra. São dez cursos, com um total de 240 vagas. Para os adultos as opções são Direção de atuação para o cinema, ministrado por Ricardo Alves Jr.; Assistência de Direção, por Marcelo Caetano; Noções básicas de montagem e edição, por Daniel Brandi do Couto; Trilha Sonora aplicada, por Márcio Brant e Felipe Fantoni; Gif Lumiére – Mostra Tiradentes 20 anos, por Henrique Kopke; e a tradicional Realização em Curta Digital, ou Oficina do Bigode, ministrada por Luiz Carlos Lacerda.

Para as crianças e adolescentes os cursos ofertados são Por trás da câmera, com Anna Rosaura e Bete Bullara, e Cinema, artes plásticas e meio ambiente, por Daniella Penna. Os workshops Animadíneos – stop motion e Pinhole: fotografia sem câmera também fazem parte da programação.

Para mais detalhes sobre as oficinas, clique aqui.

Júris

O júri da crítica deste ano conta com cinco nomes de peso: a documentarista e professora na UFRJ Anita Leandro e os críticos de cinema Heitor Augusto, Ivonete Pinto e Luiz Joaquim e Vítor Guimarães.

Além do júri da crítica, o evento mantém a tradição de contar também com o Júri Jovem, formado por estudantes universitários selecionados na oficina Análise de Estilos Cinematográficos, ministrada pelo curador da Mostra de Tiradentes Cleber Eduardo na última edição do CineBH.

O Júri Jovem será o responsável pela escolha do melhor filme da Mostra Olhos Livres. O filme escolhido receberá o recém criado Prêmio Carlos Reichenbach.

Sobre a mostra

De 20 a 28 de janeiro a pequena cidade histórica de Tiradentes torna-se o palco de uma variada programação cultural. O cinema acontece em três locais: no Cine-Praça, montado no Largo da Fôrras; no Cine-Tenda e no Cine-Teatro no Centro Cultural Yves Alves – Sesi Tiradentes.
Toda programação é oferecida gratuitamente ao público.

Fotos: Leo Fontes|Universo Produção