A aventura policial Inversão, com Giselle Itiê, Marisol Ribeiro e Tadeu di Pietro nos papéis principais, nem bem saiu dos laboratórios de finalização e já recebeu uma boa notícia: o longa foi selecionado para a Mostra Competitiva do 3º. BRAFFT – Brazilian Film Festival of Toronto, que acontece no Canadá, de 4 a 9 de setembro.

O diretor, corroteirista e co-produtor do filme, Edu Felistoque, afirma que o simples fato de ser selecionado já é um prêmio. “Mais importante do que saber se ele vai ou não ganhar algum troféu no Canadá, é perceber que o tema do filme é urgente e precisa ser amplamente discutido tanto no Brasil como lá fora”.

A trama mostra Juliana (Marisol Ribeiro), uma delegada recém-formada, pressionada para resolver o desaparecimento do empresário Mendonça (Tadeu di Pietro), sequestrado por um bando de criminosos capitaneado pela bela e insensível Milla (Giselle Itiê). Mergulhada num universo machista, Juliana terá de descer ao submundo do crime para manter seu emprego, ou enlouquecer tentando.

De narrativa realista, Inversão faz uma cruel radiografia das várias facetas que o crime assume no Brasil em geral e em São Paulo em particular. Felistoque diz que o roteiro é baseado numa amálgama de histórias que realmente aconteceram, ou, numa análise mais sarcástica, “o filme é baseado em fatos que serão reais”.

Inversão tem previsão de estreia no circuito comercial brasileiro em 2010, pela Califórnia Filmes.

Os outros filmes selecionados para a mostra competitiva do festival foram

  • O Menino da Porteira, de Jeremias Moreira Filho;
  • Simonal: Niguém Sabe o Duro Que Eu Dei, de Claudio Manoel, Calvito Leal e Micael Langer;
  • Se Nada Mais Der Certo, de José Eduardo Belmonte;
  • LOKI – Arnaldo Batista, de Paulo Henrique Fontenelle;
  • A Ilha, de Ale Camargo;
  • A Montanha Mágica, de Petrus Cariry;
  • Ao Vivo, de Peppe Siffredi e Antonio Guerino;
  • Blackout, de Daniel Rezende;
  • De Braços Abertos, de Bel Noronha;
  • Enfim Dois, de Thiago Vieira;
  • Pelo Ouvido, de Joaquim Haickel;
  • Sildenafil, de Clovis Mello.

Fonte: Assessoria