46-festival-de-brasilia_logoEstão abertas as inscrições para os cursos programados para o 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. São quatro seminários e quatro oficinas, todos gratuitos, voltados para estudantes, profissionais do audiovisual, cineastas, jornalistas, pesquisadores, músicos e público em geral.

Entre 18 e 23 setembro acontecem os seminários Olhares Multiculturais: o cinema brasileiro no estrangeiroHumor e Comicidades – A Cultura do Riso no Cinema Nacional e Cinema em Alto e Bom Som, coordenados pela professora Tânia Montoro, e Estratégias para o Desenvolvimento das Pequenas Empresas do Audiovisual Brasileiro, coordenado pelo produtor Marcus Ligocki Jr.

As oficinas, por sua vez, foram reunidas na Oficina Integrada de Cinema, que acontece de 18 a 22 de setembro, com cursos de roteiro, direção, trilha sonora para cinema e finalização digital. Todas resultarão na criação de um único produto final. No penúltimo encontro, os integrantes da oficina de direção escolherão roteiros desenvolvidos pela oficina de roteiro e trabalharão sobre eles. Em seguida, os alunos da oficina de trilha sonora comporão as músicas dos filmes que serão finalizados digitalmente.

As inscrições ficam abertas até o próximo dia 16 de agosto. Mais informações pelo telefone (61) 3325-7777 ou pelo e-mail [email protected].

Confira a programação detalhada:

OFICINA INTEGRADA DE CINEMA

A Oficina Integrada tem como objetivo produzir filmes que tenham sido originados e finalizados durante a semana de aulas. Cada professor disporá de vinte horas/aula com suas turmas, tendo o roteiro como ponto de partida. Após a conclusão dos roteiros, essas peças serão gravadas pelos alunos de direção no penúltimo dia de aula, momento que coincidirá com a preparação das trilhas, a cargo de outros alunos.

Na primeira metade do último dia, os filmes serão finalizados digitalmente e os “trilheiros” checarão as suas composições já sincronizadas aos filmes. Ao final, está prevista a exibição do filme com a devida execução das trilhas ao vivo, o que motivará a avaliação conjunta de roteiros, direção, trilha, finalização digital e dos trabalhos realizados em cada oficina.

OFICINA DE ROTEIRO, com o jornalista, escritor e roteirista Marcus Aurelius Pimenta
de 18 a 22 de setembro, 9h às 12h30

Apresentação geral. Explicações sobre formatação e peculiaridades da escrita para roteiro. Orientação sobre bibliografia básica. Na segunda parte da oficina, os alunos começarão a desenvolver os argumentos, que podem ser tanto de ficção quanto de documentário ou docudrama. Finalização dos argumentos e início da redação dos roteiros. Escolha dos projetos a serem filmados. Finalização dos projetos escolhidos e desenvolvimento dos roteiros iniciados no dia anterior. Exposição e discussão do projeto de cada participante e evolução do texto. Debate e desenvolvimento dos projetos individuais. Produção do texto. Finalização dos roteiros.
Vagas: 25 alunos.
Público-alvo: estudantes e profissionais de audiovisual.

OFICINA DE DIREÇÃO, com o diretor Jorge Bodanzky.
19 a 22 de setembro, 14h30 às 18h

Neste breve curso, o cineasta vai discutir as funções de um diretor de cinema a partir da análise de filmes. Noções de fotografia, iluminação e som. As diferentes linguagens cinematográficas: documentário, docudrama e ficção. O cinema nas novas mídias: Internet, WebTV, smartfones, etc. A questão da imagem no universo audiovisual a partir de exemplos diversos. Suporte para a realização dos exercícios práticos na integração das oficinas.
Vagas: 25 alunos.
Público-alvo: estudantes e profissionais de audiovisual.

OFICINA DE TRILHA SONORA NO CINEMA, com o músico, compositor, arranjador e professor de trilha sonora David Tygel
19 a 22 de setembro, 14h30 às 18h

A oficina é voltada para músicos estudantes e profissionais, sejam eles alunos de Cinema ou apenas interessados. Para participar, devem levar os seus próprios instrumentos, como baixo acústico e/ou elétrico, bateria, teclado, percussões, sopro (sax, trompete, trombone, flauta, clarinete, oboé) ou cordas (violão, guitarra) ou corda clássica (violino, violoncelo). Haverá espaço para DJ também.
Vagas: 12 músicos, sendo 1 DJ, 1 baixo acústico e/ou elétrico, 1 bateria, 1 teclado, 1 percussão, 1 sax, 1 trompete ou trombone, 1 flauta, 1 oboé, 1 violão, 1 guitarra e 1 violino ou violoncelo.
Público-alvo: músicos

OFICINA DE FINALIZAÇÃO DIGITAL, com o diretor e montador José Rubens Hirsch
19 a 22 de setembro, 14h30 às 18h

Técnicas de edição, finalização, masterização e adaptação para Color Grading no ambiente digital. O curso é recomendado para editores de vídeo ou interessados em finalização digital com alguma experiência na área. Na oficina serão dadas as seguintes matérias: curso de montagem integrada, conceito de montagem, diferença entre montagem e edição, visualização da linguagem cinematográfica, roteiro versus montagem. Entre os trabalhos práticos, estão seleção e organização do material, montagem de um curta-metragem e visionamento de trabalhos realizados pelo professor. Com relação à finalização digital, serão abordados set, conformação para colorimetria, efeitos, créditos e composição, som e exibição.
Vagas: 15 alunos.
Público-alvo: editores de vídeos ou interessados em finalização digital com alguma experiência na área.

SEMINÁRIOS

SEMINÁRIO OLHARES MULTICULTURAIS: O CINEMA BRASILEIRO NO ESTRANGEIRO
Dias 20 e 21 de setembro, 14h30 às 18h
Coordenação: Tânia Montoro – UnB

O cinema brasileiro tem merecido, ao longo das últimas décadas, análises e estudos de especialistas de outros países. Tais investigações teóricas, além de possibilitar um aprofundamento do debate, têm acrescentado novas perspectivas, como as relações entre cultura e cinema de diferentes países, a consolidação da indústria de audiovisual nacional, as formas de colonização, as histórias de resistências e as correntes migratórias que tornam imperativas a discussão sobre questões étnicas, raciais e de gênero.

INTEGRANTES

Randal Johnson: Professor de literatura, cinema e cultura brasileira na Universidade da Califórnia; autor de The Film Industry in Brazil,Literatura e cinema: Macunaíma do Modernismo na Literatura ao Cinema Novo e Brazilian Cinema (coeditado com Robert Stam), entre outros trabalhos sobre o cinema brasileiro.

Gian Luigi de Rosa: Professor da Universidade de Salento/Itália, especialista em tradução audiovisual. Organizador do livro Alle Radici del Cinema Brasiliano e autor de diversos ensaios sobre o cinema brasileiro, entre eles Em busca de uma terceira margem cinematográfica.

Paulo Antonio Paranaguá: Historiador de cinema e jornalista do Le Monde/França. Autor de Cinema na América Latina: Longe de Deus e perto de Hollywood e Cine documental en América Latina, entre outros.

Stephanie Dennison: Professora da Universidade de Leeds/ Inglaterra e doutora em estudos brasileiros. Em parceria com Lisa Shaw, é autora de Brazilian National Cinema, Popular Cinema in Brazil e editora de Latin American Cinema e Pop Culture Latin America.

SEMINÁRIO HUMOR E COMICIDADES – A CULTURA DO RISO NO CINEMA NACIONAL
Dia 22 de setembro, 14h30 às 18h
Coordenação: Tânia Montoro – UnB

O seminário é dedicado a pensar o riso e o risível em várias modulações na cultura cômica cinematográfica nacional. Comédia e sátira de um lado, inteligência e astúcia de outro. O riso e o humor são linguagens transculturais, mas carregadas de elementos de historicidade. Nessa perspectiva, o seminário pretende investigar o humor no cinema nacional em suas várias expressões e múltiplas possibilidades de diálogos com o público.

INTEGRANTES

Betse de Paula: Diretora das comédias românticas O Casamento de Louise (2001) e Celeste e Estrela (2002), esta última selecionada para a abertura do Festival de Brasília. Sua mais recente comédia Vendo ou Alugo (2013) recebeu 12 prêmios na edição do Cine PE deste ano.

Elias Thomé Saliba: Professor de História na Universidade de São Paulo e especialista na história cultural do humor brasileiro. Autor deRaízes do Riso: a representação humorística na história brasileira, além de vários outros textos acadêmicos e ensaios jornalísticos sobre a cultura do riso.

Maria Thereza Negrão de Mello: Professora do departamento de História da Universidade de Brasília e organizadora, com Marcia Kuyumjian, do livro Cultura cômica e ambiência cotidiana: história cultural, risibilidade e humor.

Ian SBF: um dos cinco fundadores do Coletivo Porta dos Fundos, que se tornou um dos maiores fenômenos de audiência do audiovisual nos últimos anos. Ian SBF é responsável pela direção dos vídeos, sendo também realizador da série televisiva O Fantástico Mundo de Gregório(2012) e das comédias em longa-metragem Podia ser Pior (2010) e Teste de elenco (2011), esta última lançada diretamente na internet.

SEMINÁRIO CINEMA EM ALTO E BOM SOM
Dia 23 de setembro, 14h30 às 18h
Coordenação: Tânia Montoro – UnB

O propósito é debater a relação entre o cinema nacional e a memória musical, que tem produzido encontros fecundos entre linguagens de formatos híbridos e que, ao lançar biografias e trajetórias de carreiras musicais, permite ao cinema narrar o samba, a bossa nova, o sertanejo, a música de raiz, o frevo, entre outras expressões musicais, fazendo assim a releitura de um cinema sonoro brasileiro.

INTEGRANTES

Walter Carvalho: diretor do documentário Raul – O Início, o Fim e o Meio (2012) sobre Raul Seixas, além das ficções Cazuza – O Tempo não Pára (2004), com Sandra Werneck, e Budapeste (2009), adaptado da obra de Chico Buarque de Hollanda. Prestigiado diretor de fotografia do cinema brasileiro, Walter atuou em cerca de 80 títulos nos últimos 40 anos.

Breno Silveira: diretor de Gonzaga: De Pai pra Filho (2012) e 2 Filhos de Francisco (2005), relatos biográficos dos músicos Luiz Gonzaga/ Gonzaguinha e Zezé di Camargo & Luciano, respectivamente. Atua também como diretor de fotografia, produtor e diretor de videoclipes.

Ana Rieper: diretora de Vou Rifar Meu Coração (2011), premiado documentário sobre a influência da música brega no cotidiano brasileiro. Seus trabalhos na tevê envolvem a direção (entre 2005 e 2010) do programa Afinando a língua, apresentado pelo músico Tony Belotto.

Marcelo Machado: diretor do documentário Tropicália (2012) sobre o movimento musical que revolucionou a história cultural do Brasil em fins da década de 1960. Seus trabalhos para a tevê envolvem a série Música Brasileira, exibida pelo canal Multishow.

Lírio Ferreira: diretor dos documentários Cartola – Música para os Olhos (2007) e O Homem que Engarrafava Nuvens (2009), sobre o “doutor do baião” Humberto Teixeira, eleito melhor filme documentário no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2011. Entre os seus trabalhos ficcionais, destacam-se Baile Perfumado e Árido Movie.

SEMINÁRIO ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS PEQUENAS EMPRESAS DO AUDIOVISUAL BRASILEIRO
18 e 19 de setembro, 14h às 18h
Coordenação: Marcus Ligocki Jr

18 de setembro
14h às 16h – Tema: A Conjuntura Econômica
Objetivo: Apresentar a conjuntura atual da economia do audiovisual e os direcionamentos para médio e longo prazo.
Convidados: Hamilton Pereira, secretário de Cultura do DF; Manoel Rangel, diretor-presidente da Ancine; Leonardo Hernandes, coordenador do Fundo de Apoio à Cultura/SEC/DF; Marco Altberg, presidente da ABPITV; Luciane Gorgulho, chefe do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo /BNDES.
Mediador: Renato Barbieri

16h às 18h – Tema: A Distribuição Cinematográfica
Objetivo: Apresentar a linha de trabalho da distribuidora, os seus modelos de participação no financiamento das obras cinematográficas e a visão sobre o momento atual da produção audiovisual brasileira.
Convidados: Bruno Wainer, diretor executivo da Downtown; Jean Thomas – Imovision/diretor geral; Sílvia Cruz – Vitrine Filmes/diretora geral; Sandro Rodrigues, diretor geral da H2O Filmes
Mediador: Marcus Ligocki Jr

19 de setembro
14h às 16h – Tema: A Inserção das Cinematografias Regionais
Objetivo: Apresentar as atividades atuais, desejos, limitações, bem como a visão de futuro para a produção de conteúdo audiovisual fora do eixo Rio-São Paulo.
Convidados: Renato Barbieri, diretor da Aprocine; André Carvalheira, presidente da ABCV; Isabela Cribari, representante da APCNN; Carlos Gerbase, representante da produção do Rio Grande do Sul; Rodrigo Camargo, coordenador do Núcleo do FSA; Leopoldo Nunes, secretário do Audiovisual/MinC.
Mediador: Marcio Curi

16h às 18h – Tema: Estratégias Empresariais para o Desenvolvimento Audiovisual
Objetivo: Apresentar os cases de produtoras brasileiras de conteúdo audiovisual bem-sucedidos, as estratégias adotadas para seus desenvolvimentos individuais, além de suas visões de futuro para o mercado.
Convidados: Marcio Curi, Asacine; Giba Assis Brasil, Casa de Cinema de Porto Alegre; João Júnior, REC; Marcos Didonet, Total Filmes; Fabiano Gullane, Gulane Filmes; Mariza Leão, Morena Filmes.
Mediador: Christian de Castro