SÃO PAULO – Ah, que saudade daquelas madrugadas no Noitão! Daquela paquera nas filas da bilheteria que podia ou não se concretizar no balcão do café. Saudade de assistir àquele filme do Resnais só porque ele ainda estava em cartaz depois de tanto tempo. De rever Quam Mais Quente Melhor em uma das sessões especiais do Cineclube ou participar de debates com realizadores nacionais… O fechamento do Cine Belas Artes, na R. da Consolação, quase esquina com a Av. Paulista deixou um buraco. Mesmo estando na cidade onde há sempre alguma coisa para fazer, aquele espaço marcou de um jeito especial os paulistanos.

É difícil, por exemplo, sair da nova estação de metrô da linha amarela e passar pela frente do imóvel sem se lembrar dele com carinho. Assim como foi quase impossível não se juntar à campanha pelo não-fechamento do cinema que já estava em funcionamento desde 1952. Tudo porque sem o patrocínio do Banco HSBC seria impossível pagar o aluguel. Com a obrigação legal de devolver o imóvel ao proprietário, Flávio Maluf, não houve outro jeito senão desocupá-lo.

Mas antes disso, muitas tentativas e apelos foram feitos. Empresários, artistas e frequentadores se juntaram a diversas campanhas para tentar reverter a situação. Um novo patrocinador foi buscado. Mas Maluf conseguiu uma decisão judicial e o imóvel teve que ser devolvido. A idéia do proprietário era demolir o prédio, construir um outro no local e alugá-lo a uma grande rede de lojas de departamentos.

Mesmo com todos os fatores indicando o tombamento, aquele mesmo movimento que levou pessoas às ruas em passeatas contra o fechamento, o MBA – Movimento pelo Cine Belas Artes, não desistiu de lutar pelo cinema e teve no final de 2011 a sua primeira vitória: uma decisão judicial da 3ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo determinou liminarmente a reabertura do processo de tombamento, arquivado anteriormente, e determinou que qualquer alteração no imóvel fosse paralizada até que a questão fosse analisada no mérito.

O MBA quer agora organizar uma manifestação para pressionar o prefeito Gilberto Kassab e o governador Geraldo Alckmin a tomarem medidas que devolvam o Cine Belas Artes à cidade. Para isso agendou um ato público seguido de pedalada para o próximo sábado, dia 17 de março, a partir das 16h, em frente ao prédio.

Um programa que, além de saudável e agradável, é fundamental para mostrar à cidade como os seus habitantes encaram a perda de mais um ponto cultural e para tentar garantir que ele não desapareça de vez e esteja lá aberto para outros Noitões, muitas paqueras, cafezinhos e sessões especiais.

Vamos levar a bicicleta para passear?

SERVIÇO
Ato público e pedalada pela manutenção do Belas Artes
Dia: 17 de março de 2012 (sábado)
Horário: 16h (ato) e 18h (pedalada saindo da praça do Ciclista)
Local: em frente ao CINE BELAS ARTES
Realização: Movimento pelo Cine Belas Artes (MBA)