(Homicida É!, BRA, 2008)

Ação

Direção: Gustavo Serrate

Elenco: Tobias Velho, J. Pingo, Gustavo Serrate, Maíra Santiago, Gustavo Cappelli

Roteiro: Gustavo Serrate

Duração: 25 min.

Minha nota: 3/10

Contando a história da busca de um fanático por um homicida que decapta as suas vítimas, o filme Homicida É! parte de uma boa premissa, mas acaba se perdendo entre cenas longas e momentos desconexos.

A premissa do filme é boa e tenta mesclar a fé e as falhas psicológicas e sociais, mas não consegue segurar o público.

Com uma estética variada, tem seus pontos positivos como o caminho da nota de um real e a tomada inicial. E até deixa o espectador instigado no começo, mas se perde.

O som está muito problemático. Além de oscilar entre alto e baixo o tempo todo, a narração sussurrada é praticamente impossível de se ouvir.

O filtro utilizado para filmar a menina dentro do carro, apesar de ser uma boa idéia demora mais do que o necessário e não tem nenhuma explicação. Alguns erros de continuidade também incomodam um pouco.

O maior problema é mesmo a duração. Para dar um exemplo, a cena dos dois “amigos” feridos no chão é longa demais e acaba causando um efeito contrário na platéia, outras seqüências poderiam ser retiradas para um melhor entendimento e para dar mais veracidade ao que está sendo mostrado.

Com mais experiência, o cineasta vai muito mais além do que foi neste filme. Tem boas idéias e consegue até inovar em um gênero tão batido. O desapego na edição poderia ter sido a chave do sucesso do curta.

Um Grande Momento

A nota de um real.


Prêmios e indicações (as categorias premiadas estão em negrito)

Festival de Brasília: Curta 16mm

Links

Site do Festival de Brasília