(Five Minutes of Heaven, GBR, 2009)

A Irlanda é um daqueles países que tem uma história de muito sangue derramado. O conflito religioso entre os católicos e protestantes do local gerou inúmeras vítimas e causa sofrimento até hoje com a marca de todas essas mortes.

Five Minutes of Heaven volta às marcas desta guerra civil e, com uma história ficcional, toca na ferida aberta de mortes despropositadas e do efeito de uma delas, especificamente, na vida de dois envolvidos.

Alistair Little era guerrilheiro e, para provar seu valor ao seu grupo, assassina o filho de uma família católica, sem medir consequências de seu ato e sem dar muita importância para a presença do irmão caçula da vítima, Joe Griffen, que presencia os disparos.

Vinte cinco anos depois, os dois estão prestes a se encontrar em um programa sensacionalista que ganha dinheiro e audiência ao mostrar reconciliações. Enquanto Little carrega o peso da culpa e do olhar assustado da criança, Griffen não vê a hora de se vingar da devastação de sua mãe, que sempre o culpou por não ter feito nada na noite do crime.

Ainda que tenha um bom roteiro, consiga despertar alguma ansiedade no público e conte com boas atuações de Liam Neeson e James Nesbitt, o filme parece não confiar em sua essência. A sensação de que alguma coisa está faltando na história e na criação dos personagens persiste até o final da projeção e o que poderia ser uma experiência interessante vira mais um filme de drama psicológico, sem muitas novidades e sem muita coisa a dizer.

Uma boa pedida para aqueles que gostam de filmes do gênero e conhecem um pouco da sangrenta história irlandesa, mas para ser vista sem grandes expectativas.

Um Grande Momento

Quando acaba.

Links

Drama
Direção: Oliver Hirschbiegel
Elenco: Liam Neeson, James Nesbitt, Anamaria Marinca, Juliet Crawford, Niamh Cusack, Mark David, Richard Dormer, Katy Gleadhill
Roteiro: Guy Hibbert
Duração: 90 min.
Minha nota: 6/10