Nesta edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro a ideia é retomar e fortalecer a tradição do festival, mas sem virar as costas para uma série de inovações que darão ao evento uma cara mais moderna. O anúncio das mudanças foi anunciado hoje (5) pelo secretário de Cultura do DF, Guilherme Reis, acompanhado pelo coordenador de audiovisual, Sérgio Fidalgo, e da equipe de curadoria, formada por Eduardo Valente, Tânia Montoro e Sérgio Moriconi.

A primeira novidade está no número de filmes selecionados para a mostra competitiva de longas-metragens. Tradicionalmente composta por seis títulos, tendo uma fase com doze filmes, quando documentários e ficções estavam em mostras paralelas, o festival traz nessa edição nove longas, além de 12 curtas ou médias.

Além disso, com uma programação bastante ampla, o 49º Festival de Brasília promete agradar os cinéfilos da Capital Federal. Contando com a participação do crítico de cinema Eduardo Valente na seleção desta edição e de outros colaboradores, o festival evolui da seleção por comissão para uma efetiva curadoria.

Serão oito dias com atividades durante todo o dia. Workshops, debates sobre os filmes apresentados, seminários, encontros, lançamentos de livros, palestras e os filmes do festivalzinho estão na agenda, que acontece no Cine Cultura Liberty Mall, no hotel Kubitschek Plaza, no Museu Nacional e no tradicional Cine Brasília. De todas as atividades, apenas as exibições das mostras competitivas não serão gratuitas, com ingressos a R$6 (meia) e R$12 (inteira).

Jean-claude-bernardet_interno

Novidades

Outra novidade é a criação da Medalha Paulo Emílio Sales Gomes. Batizada com o nome do criador do Festival de Brasília, que completaria 100 anos este ano, a primeira medalha será entregue a Jean-Claude Bernardet. No ano em que completa 80 anos, o crítico de cinema, roteirista e agora ator também será tema do seminário da Abraccine, que acontece no Kubitschek Plaza Hotel no domingo, dia 25 de setembro, às 14h30.

Além das mostras competitivas oficiais, da Mostra Brasília e do Festivalzinho, destinado ao cinema infantil, duas mostras paralelas complementam a programação. A Política no Mundo e o Mundo na Política é uma delas e traz documentários e ficções que registram os bastidores do mundo da política ou decisões individuais em relações às instituições. A segunda mostra é a Cinema Agora! que apresenta filmes independentes, com novas experiências estéticas.

Sessões especiais também estão presentes. Entre os títulos selecionados estão A destruição de Bernardet, de Claudia Priscilla e Pedro Marques, e Beduíno, novo filme de Júlio Bressane. Os documentários Câmara de Espelhos, de Dea Ferraz, e Precisamos Falar do Assédio, de Paula Scchetta, também fazem parte da seleção.

Outra novidade da programação é o encontro Produção audiovisual, identidade e diversidade – um olhar dos realizadores afrobrasileiros e indígenas sobre o cenário audiovisual. Serão duas mesas de debate, uma com a nova geração do cinema negro sobre oportunidades e desafios para a produção e distribuição de audiovisual feito por realizadores brasileiros, com a presença de Yasmin Thainá, Viviane Ferreira, Diego Paulino, Everlane Moraes, Labelle Rainbow e a moderação de Jeferson Dê.

A segunda mesa tratará do cinema indígena. Dinâmicas colaborativas e protagonismo político e cultural dos índios: que políticas são necessárias para alavancar a reconhecida emergência de um cinema indígena no Brasil. O encontro acontece no Kubtschek Plaza Hotel, no sábado (24), às 14h30.

Júri

Os jurados da mostra competitiva de longas-metragens serão as atrizes Camila Márdila e Mayana Neiva, a produtora Diana Almeida, o professor João Luiz Vieira, a diretora de fotografia Kátia Coelho, o crítico Luiz Carlos Merten e o cineasta e roteirista Paulo Caldas.

Os diretores Andy Malafaia, Fernando Severo e José Araripe Jr., a montadora Nathalia Tereza e a jornalista Anna Karina de Carvalho são os jurados da mostra competitiva de curtas e medias-metragens.

Cinema-novo_interno

Para acessar a programação completa e mais detalhes, acesse o site do festival.

Longas-metragens selecionados para a mostra competitiva:

A Cidade onde Envelheço, de Marília Rocha
Antes o Tempo não Acabava, de Sérgio Andrade e Fábio Baldo
Deserto, de Gulherme Weber
Elon não Acredita na Morte, de Ricardo Alves Jr.
Malícia, de Jimi Figueiredo
Martírio, de Vincent Carelli
O Último Trago, de Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti
Rifle, de Davi Pretto
Vinte Anos, de Alice de Andrade

Curtas e médias-metragens selecionados para a mostra competitiva
Abigail, de Isabel Peroni e Valentina Homem
Bodas de Papel, de Keyci Martins e Breno Nina
Confidente, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes
Constelações, de Maurilio Martins
Demônia – melodrama em 3 atos, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet
Estado Itinerante, de Ana Carolina Soares
O Delírio É a Redenção dos Aflitos, de Fellipe Fernandes
Os cuidados que se tem com o cuidado que os outros devem ter consigo mesmo, de Gustavo Vinagre
Ótimo Amarelo, de Marcus Curvelo
Procura-se Irenice, de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça
Quando os Dias Eram Eternos, de Marcus Vinícius Vasconcelos
Solon, de Clarissa Campolina

Curtas selecionados para a Mostra Brasília
A Festa dos Encantados, de Masaroni Ohashy
Das Raízes às Pontas, de Flora Egécia
Juraçu, do Coletivo Broa de Milho
O Luto, de João Gabriel Caffarelli e Saulo Santos
Rosinha, de Gui Campos
Vesti la Giubba, de Johil Carvalho

Longas selecionados para a Mostra Brasília
#Era dos Gigantes, de Maurício Costa
A Repartição do Tempo, de Santiago Dellape
Catadores de História, de Tania Quaresma
Cícero Dias – O Compadre de Picasso, de Vladimir Carvalho
Cora Coralina – Todas as Vidas, de Renato Barbieri
Estrutural, de Webson Dias

Festivalzinho
As Aventuras do Pequeno Colombo, de Rodrigo Gava
O Que Queremos para o Mundo?, de Igor Amin

Sessões Especiais
A Destruição de Bernardet, de Claudia Priscilla e Pedro Marques
Beduíno, de Julio Bressane
Câmara de Espelhos, de Dea Ferraz
Estive em Lisboa e Lembrei de Você, de José Barahona
Precisamos Falar do Assédio, de Paula Sacchetta

Mostra A Política e o Mundo e o Mundo da Política
A Cidade do Futuro, de Cláudio Marques e Marília Hughes
Entre os Homens de Bem, de Caio Cavenchini e Carlos Juliano Barros
Estopô Balaio, de Cristiano Burlan
Sexo, Pregações e Política, de Aude Chevalier-Beaumel e Michael Gimenez
Taego Ãwa, de Henrique Borela e Marcela Borela

Mostra Cinema Agora!
Eles Vieram e Roubaram sua Alma, de Daniel de Bem
Não Me Fale sobre Recomeços, de Arthur Tuoto
Os Pássaros Estão Distraídos, de Diogo Oliveira e João Vieira Torres
Pedro Osmar, prá liberdade que se conquista, de Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques
Recado pro Mundão, de Diogo Noventa

Cinema Voador (que acontece no Condomínio do Sol Nascente, na Ceilândia)
Canta Maria, de Francisco Ramalho Jr.
Cine Holliúdy, de Halder Gomes
Couro de Gato, de Joaquim Pedro de Andrade
Maioria Absoluta, de Leon Hirszman
O Auto da Compadecida, de Guel Arraes
O Último Raio de Sol, de Bruno Torres

Filmes de abertura
Improvável Encontro, de Lauro Escorel
Cinema Novo, de Eryk Rocha

Filme de encerramento
Baile Perfumado, de Paulo Caldas e Lírio Ferreira