E lá vamos nós com mais uma listinha. Esta aqui, especial, traz as mais marcantes relações do cinema e os casais que mais chamaram minha atenção, seja por serem engraçados, tristes, diferentes e convencionais. Como sempre o número escolhido é dez, com a liberação de algumas poucas menções honrosas.

1. Ilsa Lund e Rick Blaine, de Casablanca.

Para começar, nada melhor do que um clássico. Personagens de um dos melhores filmes da história, Ilsa e Rick se conheceram na época da invasão alemã na França e se apaixonaram perdidamente. Mesmo depois de dias de amor perfeito, algo no caminho dá errado e eles se separam. Anos depois se reencontram em Casablanca, no Marrocos, de onde as pessoas partiam para a América fugindo da guerra.

Ela é a bela esposa de um herói da resistência francesa. Ele, o dono de um bar em Casablanca, canastrão e cheio de mulheres.

Momento marcante

Ilsa: Toque de novo, Sam. Pelos velhos tempos…
Sam: [mentindo] Eu não sei do que você está falando, senhorita Ilsa.

Ilsa: Toque, Sam. Toque “As Time Goes By”.

2. Yzma e Kronk, de A Nova Onda do Imperador

Nas animações também existem relações marcantes. É o caso da conselheira má do imperador Kuzco, Yzma, e seu fiel escudeiro Kronk. Os dois vivem em um castelo maia e enquanto ela vive criando planos mirabolantes para se livrar do jovem, metido e mimado imperador, ele gasta seu tempo malhando e preparando surpresas para sua amada.

Ela é um vilã velha, magra, feia, má e histérica. Ele, um garotão bobo, forte e bonito que adora cozinhar e sabe como ninguém ser submisso.

Momento marcante

Yzma: Leve-o para fora da cidade e acabe o serviço agora!
Kronk: Mas e o jantar?
Yzma: Kronk, isso é um pouco importante…

Kronk: E a sobremesa?

Yzma: Bom, eu acho que para a sobremesa dá tempo.

3. Renato Baldi e Zaza Nipoli, de A Gaiola das Loucas

E quem disse que o romance tem que ser entre um homem e uma mulher? Em Saint Tropez, Renato Baldi é o propietário de uma casa de shows gay. Ele é casado com Albin Mougeotte, também conhecido como Zaza Nipoli. A vida tranqüila dos dois vira uma confusão quando o filho de Baldi resolve se casar e tem que apresentar a família ao sogro.Existem duas versões do filme, uma francesa e outra estadunidense.

Ele é um agitado empresário da noite que faz tudo pelo seu filho. Ele, ou melhor ela, é a estrela de um show de drag queens, atriz, sensível e para lá de afetada.

Momento marcante

Renato Baldi: Seu dedo… O que você está fazendo com esse negócio levantado? Olha o seu dedo.

Albin Mougeotte: É… Ele tem cérebro próprio.


4. Maude e Harold Parker Chasen, de Ensina-me a Viver

Esse negócio de diferença de idade não está com nada e Harold e Maude estão aí para provar isto. Os dois se conhecem em um enterro e, apesar de ele ser bem mais novo, é ela que o ensina a graça e a alegria de viver.

Ele é um rico menino novo completamente fascinado pela morte e sem muito ânimo para experiências diferentes. Ela, uma velhinha para lá de assanhada que não quer perder tempo com tristeza.

Momento marcante

Harold: Eu gosto de você, Maude.
Maude: Eu gosto de você, Harold.


5. Clarice Starling e Hannibal Lecter, de Silêncio dos Inocentes

E quando você segue sua vida por um caminho e, de repente, conhece alguém que segue o caminho exatamente contrário mas que torna-se a sua maior fascinação? Enquanto está do lado da lei e procura por um serial killer assustador, Clarice tem que colher informações de um assassino frio em um presídio de segurança máxima.

Ele é um inteligentíssimo e perverso assassino que adora comer o que não deve. Ela, uma novata no FBI esperta e dedicada que não consegue mais tirá-lo da cabeça.

Momento marcante

Clarice Starling: Onde você está, Dr. Lecter?
Hannibal Lecter: Eu não tinha planos de ligar para você, Clarice. O mundo é mais interessante com você nele.

6. Princesa Ann e Joe Bradley, de A Princesa e o Plebeu

Se você vive preso em um mudinho chato e repetitivo, nada como uma aventura em uma bela cidade e, de preferência, bem acompanhada. Depois de muitas cerimônias, a princesa consegue fugir de seus seguranças e sai para conhecer Roma. O jornalista estadunidense Joe Bradley a reconhece e o que poderia ser uma grande matéria acaba virando uma história de amor.

Ele é um típico aventureiro que gosta de se dar bem. Ela, uma encantadora menina da realeza que só quer ter uma vida normal.

Momento marcante

Princesa Ann: Esse é o elevador?
Joe Bradley: Este é o meu quarto!

7. Vivian Ward e Edward Lewis, de Uma Linda Mulher

A história da Cinderela sempre tem a sua força. Nas ruas de Los Angeles uma prostituta espera seu novo cliente, quando conhece um bem sucedido empresário que não sabe como dirigir um carro com câmbio manual e muito menos como se localizar na cidade. Ela o ajuda e os dois acabam se apaixonando.

Ele é muito rico e não cansa de fazer dinheiro comprando empresas falidas e as vendendo depois. Ela, uma sonhadora, divertida e bela mulher que faz dinheiro vendendo outra coisa.

Momento marcante

Vivian: Eu posso te chamar de Eddie?
Edward: Não se você espera que eu responda.

8. Rosemary e Gabe, de ABC do Amor

A primeira paixão é sempre a mais fofa e mais gostosa. Apaixonado pela coleguinha da escola, Gabe faz tudo para estar perto dela e como sofre com todos os sentimentos que estão dentro dele e que até então não tinha a menor idéia de que existissem.

Ele é tímido e tenta enfrentar de alguma maneira o fim do casamento dos pais. Ela, mais extrovertida, vive um grande apartamento e não sabe o que se passa na vida dos pais.

Momento marcante

Rosemary: Mas eu pensei que você me odiava.
Gabe: Eu não odeio. Eu menti.

9. Molly Jensen e Sam Wheat, de Ghost

Este é um exemplo de relação impossível. Depois de tempos muito felizes, a única que ainda está viva para relembrar todos os momentos é ela. Ele, morto em um assalto, ainda tenta de todas as maneiras se comunicar com ela, mas só consegue através de uma vidente para lá de esquisita.

Ele é um fantasma que não falava “eu te amo” quando vivo. Ela, uma escultora triste que corre perigo de vida.

Momento marcante

Molly Jensen: Eu amo você!
Sam Wheat: Idem.

10. Elsa e Fred, de Elsa e Fred

E o tempo não é o bastante para apagar a vontade de amar. Vizinhos em um prédio, beirando os 80 anos, Elsa e Fred se conhecem depois que ela bate no carro da filha dele e, apesar de todas as diferenças acabam se apaixonando um pelo outro. Juntos realizam os sonhos da juventude.

Ele é um velho viúvo aposentado e hipocondríaco. Ela, uma argentina animada e mitômana.

Momento marcante

Fred: Você está louca? Quer sair sem pagar?
Elsa: Quando eu contar três, nos levantamos e vamos.

Sei que existem muitos outros casais merecedores de uma posição na lista, mas não posso deixar de mencionar a desmemoriada e divertida Dory e o medroso e desesperado Marlin, de Procurando Nemo, e o nerd salvador e escolhido Neo e sua fiel escudeira e fodona Trinity, de Matrix.

Agora me contem quais são os casais que mais marcaram as suas experiências no cinema.