(Mammoth, EUA, 2009)

33ª Mostra Internacional de Cinema

Uma mãe cirurgiã bem sucedida, um pai nerd que ganha muito dinheiro criando jogos eletrônicos e uma filha que se identifica mais com a empregada, imigrante filipina*, do que com eles. Este é o núcleo da trama de Corações em Conflito, que de forma batida trata do tema preferido do diretor Lukas Moodysson, a infância.

Crianças criadas por babás; mães que deixam os filhos em segundo plano para conseguir vencer na carreira e/ou para melhorar a vida da família; mães que querem se ver livre do problema; crianças que são obrigadas a vender seus corpos para sobreviver; trabalho escravo infantil e outras mazelas que precisam ser discutidas são, ou parecem ser, os motivadores deste drama.

Cheio de boas intenções, o filme até faz pensar, mas não consegue cumprir seu objetivo por ser tão quadrado e ao mesmo tempo artificial. Relações superficiais e mal desenvolvidas reforçam a impressão de que nada daquilo possa acontecer ou já ter acontecido de verdade.

Personagens estranhos e deslocados, como o pai, têm mais espaço do que precisam e outros, secundários, passam pelo máximo de situações apelativas possíveis, como se estivessem ali para tentar fazer o público chorar. Como se a temática precisasse de clichês para isso.

A falsidade do resultado acaba deixando o público alheio ao que acontece na tela e a sensação de tempo perdido prevalece.

Em meio a tanto equivocos, não se pode negar o bom trabalho dos pequenos Jan David G. Nicdao e Sophie Nyweide e nem de Marife Necesito, que dá vida à babá. Gael García Bernal, com um personagem fraco nas mãos, parece perdido entre a travação e o exagero e não consegue dizer ao que veio.

A direção de fotografia de Marcel Zyskind, com bons enquadramentos e o bom uso da luz, também está do lado das qualidades.

Comprovando que cinema é uma arte subjetiva, o filme foi indicado ao urso de ouro no Festival de Berlim, ou seja, talvez outras pessoas gostem mais do que vão ver.

Um Grande Momento

A ligação de Salvador.

Classificação Indicativa: 16 anos

Prêmios e indicações (as categorias premiadas estão em negrito)

Festival de Berlim
: Urso de Ouro

Links

Drama
Direção: Lukas Moodysson
Elenco: Gael García Bernal, Michelle Williams, Marife Necesito, Jan David G. Nicdao, Sophie Nyweide, Maria Esmeralda del Carmo, Perry Dizon, Natthamonkam Srinikornchot
Roteiro: Lukas Moodysson
Duração: 125 min.
Minha nota: 3/10