(Source Code, EUA/FRA, 2011)

Ficção Científica
Direção: Duncan Jones
Elenco: Jake Gyllenhaal, Michelle Monaghan, Vera Farmiga … Colleen Goodwin, Jeffrey Wright, Michael Arden, Cas Anvar, Russell Peters
Roteiro: Ben Ripley
Duração: 93 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

Colter Stevens, de repente, acorda em um trem com uma mulher falando muito intimamente com ele, ele não a reconhece, nem ao nome pelo qual ela o chama e muito menos a sua própria fisionomia. Alguns minutos depois, uma grande explosão toma conta do vagão e ele está dentro de uma espécie de cápsula, mas também não reconhece o lugar onde esta e nem a mulher que lhe dá ordens de um pequeno monitor. Se bem se lembra, ele estava em um helicóptero no Afeganistão, mas quando menos espera ele estará novamente dentro daquele mesmo vagão, com aquela primeira mulher estranha. Mas só por oito minutos.

Falar mais sobre o enredo seria estragar as muitas surpresas que Contra o Tempo guarda para os momentos certos e que fazem muita diferença para quem acompanha essa repetitiva corrida contra o tempo do soldado Stevens.

O que vemos na tela é uma mistura interessante de O Feitiço do Tempo e Déjà-Vu. Uma ficção científica cheia de repetições de cena e eventos que vai envolvendo os espectadores, aguçando a curiosidade e que acaba fazendo um cinema de ação pensante, que vai além das cenas explosivas e dos tiros disparados.

O bom roteiro, assinado por Ben Ripley, não se acanha ao lançar uma situação e se desenvolver a partir dela, diferente da maioria dos thrillers por aí, que vão sendo construídos aos poucos. O diretor Duncan Jones, que surpreendera com Lunar, demonstra segurança e precisão ao trabalhar a percepção do tempo nos espectadores e, assim, dar ritmo a um filme que, mesmo cheio de repetições, se baseia em expectativas. Juntando isto ao o eficiente trio de atores, Jake Gyllenhaal, Michelle Monaghan e Vera Farmiga, o resultado não poderia ser negativo.

Claro que alguns problemas podem ser detectados aqui e ali e ainda existe um apego a mostrar mais imagens do que seria necessário, mas nada que atrapalhe tanto assim. E o objetivo principal é atingido: todos se entretêm com o que estão vendo na tela. Sem falar que é bom (e raro) demais assistir a filmes de ação que fazem pensar.

Um Grande Momento

Quebrando a conexão.

Links

No IMDb Site Oficial