Depois de muito tempos, já estava mesmo na hora de voltar às listinhas dos 10+. Para o retorno, escolhi um tema que conheço bem e, confesso, adoro! Para mim não há nada melhor do que em dias de TPM (ou qualquer outro motivo) sentar na frente da televisão, com pipoca ou sorvete, e assistir a um dos muitos filmes bobinhos que tenho em casa.

Claro que não existe muita inovação de um filme para o outro e a história sempre tem a mesma estrutura. Claro também que, quase sempre, no final tudo vai dar certo com aquele casal.

De alguma maneira estranha as comédias românticas conquistam. Talvez por falar do amor romântico que habita o imaginário popular, ou por seus personagens tão apaixonantes e bonzinhos.

Como em toda lista, escolher só dez não foi tão fácil assim, mas ficaram aqueles filmes que merecem ser vistos, por mais que as pessoas não gostem do gênero.

Aconteceu Naquela Noite (It Happened One Night), de Frank Capra

Peter Warne, um jornalista desempregado, (Clark Gable) encontra-se com Ellie Andrews (Claudette Colbert), filhinha de papai que acabara de fugir por não poder escolher a pessoa com quem vai se casar. Ele pensa que o encontro pode lhe render uma boa matéria e, quem sabe, a redenção profissional, mas os dois ficam cada vez mais íntimos e as coisas acabam saindo um pouco do controle.

A Loja da Esquina (The Shop Around the Corner), de Ernst Lubitsch

Alfred Kralik (James Stewart) e Klara Novak (Margaret Sullavan) trocam correspondências e estão apaixonados um pelo outro mesmo sem se conhecerem. Por coincidência, ela consegue emprego na fábrica de tecidos onde ele trabalha, mas a relação dos dois é totalmente agressiva. As duas relações duram por um tempo até que Alfred resolve se revelar, mas é despedido antes.
O filme Mensagem para Você, com Meg Ryan e Tom Hanks é inspirado neste filme.

A Princesa e o Plebeu (Roman Holliday), de William Wyler

Parecido com Aconteceu Naquela Noite, o filme conta a história de Joe Bradley (Gregory Peck), um jornalista que espera ter um furo de reportagem depois de reconhecer a princesa Ann (Audrey Hepburn), que queria ter um dia como uma pessoa que não é da realeza, nas ruas de Roma. O passeio acaba aproximando muito os dois.

Confidências à Meia-Noite (Pillow Talk), de Michael Gordon

A decoradora Jam Morrow (Doris Day) e o compositor Brad Allen (Rock Hudson) são obrigados a dividir a mesma linha telefônica. O tempo que ele gasta falando com as namoradas a noite começa a incomodá-la. Enquanto isso, ele finge ser outra pessoa e começa a sair com ela. Como era de se esperar, os dois acabam se apaixonando.

Harry e Sally – Feitos um para o Outro (When Harry Mets Sally), de Rob Reiner

Harry (Billy Crystal) e Sally (Meg Ryan) se conhecem em uma viagem depois da formatura para Nova York, onde querem começar suas vidas profissionais. De cara, os dois não se dão bem e vivem implicando um com o outro, mas continuam se encontrando esporadicamente e acabam se apaixonando.

Não há como falar de Harry e Sally e não lembrar da famosa cena da lanchonete, quando ela mostra que uma mulher pode sim fingir um orgasmo.

Uma Linda Mulher (Pretty Woman), de Gary Marshall

Bem ao estilo Gata Borralheira, Vivian (Julia Roberts) é uma prostituta das ruas da Broadway e, por sorte, o empresário ricaço Edward (Richard Gere) escolhe a moça para perguntar o caminho para um hotel do lugar. Ela acaba o levando até lá e os dois passam a noite juntos. Depois ele decide contratá-la como acompanhante por uma semana e os dois se envolvem mais do que o esperado.

Greencard – Passaporte para o Amor (Greencard), de Peter Weir

Georges (Gérard Depardieu) é um compositor francês que sonha em conseguir um green card para continuar nos Estados Unidos. Brontë (Andie MacDowell) quer alugar um apartamento maravilhosos, mas não pode fazê-lo se for solteira. Se os dois se casassem, os problemas estariam resolvidos, então por que não?

O que era só uma questão legal, acaba virando paixão.

Sintonia de Amor (Sleepless in Seatle), de Nora Ephron

Jonah (Ross Malinger) está muito preocupado com seu pai Sam (Tom Hanks), que nunca conseguiu se recuperar da morte da esposa e, para ajudá-lo, resolve ligar para um programa de rádio. Annie (Meg Ryan), que acabou de ficar noiva de Walter (Bill Pullman), escuta o programa e se encanta com o modo como Sam fala de sua esposa.

Sem tirá-lo da cabeça, ela resolve conhecê-lo e marca um encontro no Empire State Building, antiga referência ao clássico melodrama Tarde Demais para Esquecer, citado várias vezes no filme.

Enquanto Você Dormia (While You Were Sleeping), de Jon Turteltaub

Lucy (Sandra Bullock) é uma solitária atendente de metrô que se apaixona, de dentro da cabine, por Peter (Peter Gallagher) dos usuários de sua estação. Depois de um desmaio no local, ele entra em coma e precisa ser internado. Para acompanhar a internação Lucy diz ser sua noiva e acaba se envolvendo com a família do enfermo e, em especial, com o seu encantador irmão Jack (Bill Pullman).

Melhor é Impossivel (As Good as It Gets), de James L. Brooks

Melvin (Jack Nicholson) é um escritor grosseiro e mal-humorado que ocupa seu tempo com implicâncias e ironias a todos os que o cercam. Até que começa a conviver com Carol (Helen Hunt), uma garçonete mãe solteira, que lida sozinha com a grave asma do filho, e com Simon (Greg Kinnear), seu vizinho gay.

Claro que muitas outras comédias românticas mereciam estar aqui. Qual é a que você incluiria?