Começa hoje (9), a quinta edição da Janela Internacional de Cinema do Recife, idealizada pelo cineasta Kleber Mendonça Filho, a mostra é considerada hoje uma das mais importantes do país. São cerca de 110 filmes selecionados, que serão exibidos no Cine São Luiz e no Cinema da Fundação até o próximo dia 18 de novembro. O filme escolhido para a abertura foi o longa Boa Sorte, Meu Amor, de Daniel Aragão, premiado este ano no Festival de Brasília, e a exibição será seguida da já tradicional festa de abertura no Edifício JK.

A programação da mostra inclui um foco especial inédito dedicado ao novo Cinema feito na Alemanha, com nove longas-metragens, e programas especiais de festivais parceiros, como a Quinzena de Realizadores do Festival de Cannes e o Festival de Curtas de Vila do Conde, de Portugal e, do Brasil, os cineclubes Dissenso e Cachaça Cinema Clube.

O cinema brasileiro está muito presente na seleção deste ano, que inclui os filmes Eles Voltam, de Marcelo Lordello e também premiado em Brasília; Doméstica, de Gabriel Mascaro; Esse Amor Que Nos Consome, de Allan Ribeiro; O Que Se Move, de Caetano Gotardo, e o longa do idealizador do festival O Som ao Redor, que vem arrecadando prêmios em quase todos os festivais por onde passa. A programação internacional inclui filmes como o russo Na Neblina, de Sergei Loznitsa; o chileno No, de Pablo Larraín; e o filme português sensação do momento Tabu, de Miguel Gomes.

O Panorama alemão, que este ano também esteve presente nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Curitiba e Salvador marca sua passagem pelo Recife com o filme O Perdão, de Matthias Glasner, com Jürgen Vogel e Birgit Minichmayr no elenco. Transpapa, de Sarah Judith Mettke; Lua Crescente, de Christian Zübert; A Última Ambulância de Sófia, de Illian Metev; Para Elise, de Wolfgang Dins Lage; Os Visitantes, de Constanze Knche; O Peso da Culpa, Lars-Gunnar Lotz; Além do Horizonte, de Pola Ischirin Beck, e Speed – Em Busca do Tempo Perdido, de Florian Optiz, completam a programação germânica.

Na programação há ainda o Janelinha, com uma mostra especial para crianças em sua segunda edição, e a mostra Clássicos do Janela, em seu terceiro ano, com uma seleção de filmes obrigatórios como Lawrence da Arábia, de David Lean; Tubarão, de Steven Spielberg; Taxi Driver, de Martin Scorsese; O Leopardo, de Luchino Visconti, e Psicose, de Alfred Hitchcock, em cópias restauradas exibidas em DCP no Cine São Luiz. Os também clássicos Rastros de Ódio, de John Ford; O Enigma de Outro Mundo, de John Carpenter; O Sacrifício, de Andrey Tarkovsky; Veludo Azul, de David Lynch, e A Noviça Rebelde, de Robert Wise completam a seleção.

A programação competitiva do festival fica por conta dos curtas-metragens. São 28 concorrentes nacionais e uma seleção internacional com 24 filmes de diversos países. Oriundas do volume de cerca de 700 inscrições, há obras de todo o Brasil, além de países como Rússia, Reino Unido, Suécia, EUA, Suíça, Canadá, Holanda, Romênia, Itália, França, Portugal. Egito e República Tcheca pela primeira vez serão representados no festival. O Júri oficial vai premiar os melhores nas categorias Filme, Imagem, Montagem e Som.

Mais detalhes sobre o evento, informações sobre filmes e programação completa no site do evento.

SERVIÇO
V Janela Internacional de Cinema do Recife
De 9 a 18 de novembro

Cine São Luiz
Rua da Aurora, 175, Boa Vista. Fone: 3184.3157 | R$ 4 e R$ 2

Cinema da Fundação
Rua Henrique Dias, 609, Derby. Fone: 3073.6767 | R$ 8 e R$ 4

Obs: A venda de ingressos antecipados para os longas no São Luiz estará disponível a partir do dia 5/11, das 14h às 17h (3 ingressos por pessoa)