De 17 a 24 de outubro, Porto Alegre recebe mais uma vez o melhor da produção audiovisual independente e contemporânea, do Brasil e do exterior, com a sexta edição do CineEsquemaNovo – Festival de Cinema de Porto Alegre (CEN 2009). Mais de 20 diretores, de diversas partes do País, estarão na capital gaúcha para acompanhar o festival deste ano, que contará com sete mostras 112 filmes e 76 diferentes sessões. Toda a programação é gratuita e acontece na Sala P.F. Gastal, no Cine Santander Cultural e no Cine Bancários.

A Abertura do festival acontece às 19h30 do dia 17, no lounge montado no 3º andar da Usina do Gasômetro, seguida pela exibição do primeiro longa-metragem em competição: “Loveless”, do paulista Cláudio Gonçalves, às 21h, na Sala P. F. Gastal.

O Encerramento do CineEsquemaNovo 2009, no dia 24, contará com a pré-estréia Internacional do longa-metragem norte-americano “Stingray Sam”, de Cory McAbee (19h30h, na Sala P.F. Gastal), exibido este ano em Sundance. Logo após, às 21h, serão conhecidos os filmes vencedores do CEN 2009, na cerimônia de premiação. Os premiados participarão de uma mostra itinerante nas lojas da Livraria Cultura de Porto Alegre, São Paulo (Bourbon Pompéia), Campinas, Recife e Brasília, entre os dias 29 a 31 de outubro.

O CineEsquemaNovo deste ano conta com as mostras competitivas de Longas-metragens (4 filmes), de Curtas e Médias-metragens (22 filmes) e ainda a Mostra Aula de Cinema (24 filmes), focada na produção universitária. Estas mostras foram selecionadas e montadas a partir das quase 800 inscrições recebidas pelo festival para seleção, vindas de todos os cantos do Brasil.

A programação especial envolve uma série de filmes inéditos no Brasil, caso da Mostra Zona Livre (com filmes premiados em diversos festivais pelo mundo, e que construíram sua reputação em fóruns de cinema na internet) e da Mostra Cine en Construcción (com produções latino-americanas apoiadas pelo projeto de mesmo nome, realizado anualmente na França no Festival de Toulouse). Isso, sem contar a importante Mostra Cinema Marginal Brasileiro – com filmes clássicos, e outros nunca lançados comercialmente, integrantes da coleção homônima lançada em DVD este ano pela Heco Produção e Lume Filmes.

A programação também é composta pela Mostra da Meia-Noite, com diversos filmes realizados por pessoas ligadas direta ou indiretamente à organização do festival; pela Hora Extra, atividade realizada sempre às 18h no longe do festival na Usina do Gasômetro envolvendo música ao vivo, performances e projeções; pelos Seminários, liderados pelos integrantes do Júri Oficial do CEN 2009 (Cezar Migliorin, Christian Saghaard, Lina Chamie, Maria Helena Bernardes e Maria Henriqueta Creidy Satt) na Usina do Gasômetro; pelos Debates com os diretores dos filmes das mostras competitivas de longas e curtas, que acontecem sempre após as sessões; e pela tradicional Oficina de Crítica Cinematográfica, este ano ministrada pelo jornalista Daniel Feix, responsável por orientar os participantes na escolha do longa-metragem que receberá o Prêmio da Nova Crítica. Um grande debate de encerramento, na tarde do dia 24, completa a grade de atividades deste ano.

Filmes em competição

No total, 46 filmes integram a programação das três mostras competitiva do CEN 2009. A curadoria para esta seleção foi realizada pelos cinco realizadores do festival: Alisson Avila, Gustavo Spolidoro, Morgana Rissinger, Jaqueline Beltrame e Ramiro Azevedo.

Quatro filmes competem na Mostra de Longas (ML): “A Casa de Sandro”, de Gustavo Beck (RJ); “Loveless”, de Cláudio Gonçalves (SP), filme que faz sua estréia em festivais; “Praia do Futuro”, do grupo composto por Wanessa Malta, Guto Parente, Thais Dahas, Thaís de Campos, Ivo Lopes, Fred Benevides, Fernanda Porto, Armando Praça, Diogo Costa, Mariana Smith, Rúbia Mércia, Pablo Assumpção, Luiz Pretti, Themis Memória, Ythallo Rodrigues, Ricardo Pretti, Salomão Santana e Felipe Bragança (CE); e “Ressaca”, de Bruno Vianna (RJ), longa que é montado em tempo real, diante da platéia, durante a sua exibição.

Na Mostra de Curtas (MC), serão 22 curtas e médias-metragens oriundos dos estados de SP, MG, CE, PE, PB, RJ e RS, além de co-produções com países como Croácia, Portugal, Argentina, Sérvia e Egito.

Já a Mostra Aula de Cinema (MAC), dedicada à valorização do cinema feito em escolas, cursos e universidades, apresenta 24 filmes de 14 instituições, vindas de sete estados brasileiros, além de escolas de cinema de Cuba, Estados Unidos e França

Mostras paralelas

Entre as mostras especiais, destacam-se dois importantes programas internacionais: a Mostra Zona Livre e a Mostra Cine en Construcción.

Composta por filmes inéditos e outros raramente exibidos no País, a Mostra Zona Livre apresenta oito produções, entre longas, médias e curtas, que chamaram a atenção de diversos festivais espalhados pelo mundo, mas que terminaram por construir a sua verdadeira reputação nos fóruns e comunidades de cinema da internet, dentro de um circuito paralelo de circulação e reflexão. A curadoria de Bruno Carboni e Davi Pretto trouxe títulos de diretores reconhecidos em diferentes cenas do audiovisual independente mundial. Filmes raros e cultuados por cinéfilos de todo o mundo, que cada vez mais ampliam sua busca usando a internet como janela de exibição e pesquisa.

Já a Mostra Cine en Construcción é uma parceria do CineEsquemaNovo com o projeto de mesmo nome originário do festival de Toulouse, na França, e que também acontece no festival de San Sebastian, na Espanha. O Cine en Construcción fomenta e promove a produção latino-americana, levando-a a novas redes de distribuição e exibição. Sete filmes falados em espanhol e português, premiados e exibidos nos mais influentes festivais internacionais, estarão em destaque no CEN. Alguns são lançamentos recentes e inéditos no Brasil.

Outro programa em evidência é a Mostra Cinema Marginal Brasileiro, realizada ao lado da Lume Filmes e da Heco Produções, que lançam durante o festival um novo selo de cinema brasileiro de arte. O projeto estréia com a Coleção Cinema Marginal Brasileiro, composta por 12 DVDs, totalizando 38 filmes produzidos desde a década de 1960 – alguns deles, nunca lançados comercialmente.

Os quatro primeiros volumes, que já podem ser encontrados nas lojas especializadas, serão apresentados na Mostra Cinema Marginal Brasileiro do CEN 2009. São quinze filmes entre longas, médias e curtas-metragens, incluindo títulos nunca exibidos em Porto Alegre. Entre os longas estão os clássicos “Bang Bang” (1971), de Andrea Tonacci; “Sem essa, Aranha” (1970), de Rogério Sganzerla; “Meteorango Kid, o Herói Intergalático” (1969), de André Luiz Oliveira, e “Os Monstros de Babaloo” (1970), de Elyseu Visconti. Os próximos quatro DVDs da coleção contarão com filmes de Carlos Reichenbach, José Agrippino de Paula, Geraldo Veloso, e Ozualdo Candeias

A programação de filmes se completa com as tradicionais Sessões da Meia-Noite (MN), que permanecem no CEN 2009, com produções fora de competição, convidadas pelo festival ou realizadas por pessoas envolvidas com a sua organização. Neste ano, serão exibidos 24 filmes nesta mostra.

Confira a programação completa aqui.