São Paulo – O Centro Cultural Banco do Brasil inicia o ano com uma grande mostra do casal de cineastas francês Jean-Marie Straub e Danièle Huillet, que surpreendeu com adaptações de peças teatrais, músicas, óperas, textos e pinturas de grandes nomes como Bach, Kafka, Pavese, Brecht, Hölderlin, Corneille, Cézanne e outros.

Um profundo senso de estética e as experimentações com sons e imagens, que fizeram o casal ser premiado nos festivais de Berlim, Veneza e na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, poderão ser conferidos nesta seleção de 40 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens. Serão exibidos 26 dos 28 filmes do casal realizados de 1962 a 2006, ano da morte de Danièle; nove curtas que Straub realizou sozinho desde então e cinco filmes sobre os cineastas, dirigidos por Harun Faröcki, Manfred Blank, Pedro Costa, Jean-Paul Toraille e Philippe Lafosse.

Com exceção de Da Nuvem à Resistência (35mm>Betacam), Introdução a “Música de Acompanhamento para uma Cena de Cinema” de Arnold Schönberg (35mm>Betacam) e Não Reconciliados ou Só a Violência Ajuda, Onde a Violência Reina (35mm>16mm), os filmes serão projetados em suas bitolas originais e terão legendas eletrônicas em português.

Os filmes da mostra

Obs: Todos os filmes foram realizados por Jean-Marie Straub e Danièle Huillet, à exceção dos títulos marcados com (*),que foram realizados apenas por Jean-Marie Straub.

Machorka-Muff
(República Federal da Alemanha,1962, 35mm, P&B,18’, curta-metragem)
Baseado em Hauptstädtisches Journal (1958), de Heinrich Böll.

Não Reconciliados ou Só a Violência Ajuda, Onde a Violência Reina
(Nicht versöhnt oder Es hilft nur Gewalt, wo Gewalt herrscht, República Federal da Alemanha, 1964, 35mm, P&B, 55’, média-metragem)
Baseado no romance Biliiard um Halbzenh (1959), de Heinrich Böll.

Crônica de Anna Magdalena Bach
(Chronik der Anna Magdalena Bach, República Federal da Alemanha, 1967, 35mm, P&B, 93’, longa-metragem)
A partir da necrologia (1754) redigida por Carl Philipp Emanuel Bach e J.F. Agricola, de textos (cartas e memórias) de Johann Sebastian Bache outros documentos da época. O filme retrata a luta cotidiana no trabalho do compositor.

O Noivo, a Atriz e o Chulo
(Der Bräutigam, die Komödiantin und der Zuhälter, República Federal da Alemanha, 1968, 35mm, P&B, 23’, curta-metragem)A partir de Krankheit der Jugend (1928),peça de Ferdinand Brückner (montada anteriormente por Straub a pedido de Fassbinder no Teatro de Ação de Munique) e de três poesias de Juan de La Cruz (séc. 16).

Os Olhos não Querem Sempre se Fechar ou Talvez um Dia Roma se Permita Fazer sua Escolha (Othon)
Les yeux ne veulent pas en tout temps se fermer ou Peut-être qu’un jour Rome se permettra de choisir a son tour (Othon) (Itália/França, 1969, 35mm, cor, 88’, longa-metragem)
Baseado na peça Othon de Pierre Corneille, representada pela primeira vez em 1664.

Lições de História
(Geschichtsunterricht, Itália/República Federal da Alemanha, 1972, 16mm, Cor, 85’, longa-metragem)
Baseado no fragmento de romance Die Geschäfte des Herrn Julius Caesar (Os negócios do Sr. Julio César, 1937-39) de Bertolt Brecht.

Introdução a “Música de Acompanhamento para uma Cena de Cinema” de Arnold Schönberg
(Einleitung zu Arnold Schönbergs “Begleitmusik zu einer Lichtspielscene”, República Federal da Alemanha, 1972, 16mm, P&B e Cor, 15’, curta-metragem)
A partir de duas cartas de Schönberg a Wassily Kandinsky (1923) e um excerto do discurso de Bertolt Brecht no Congresso Internacional dos intelectuais contra o fascismo (1935).

Moisés e Arão
(Moses und Aron, Áustria/República Federal da Alemanha /França/Itália, 1974
35mm, Cor, 107’, longa-metragem)
Baseado na ópera homônima de Arnold Schönberg.

Toda Revolução É um Lance de Dados
(Toute révolution est un coup de dés, França, 1977, 35mm, Cor, 10’, curta-metragem)
Baseado no poema Un coup de dés jamais n’abolira le hasard (Um lance de dados jamais abolirá o acaso, 1897) de Stephane Mallarmé.

Fortini/Cani
(Itália, 16mm, Cor, 83’, longa-metragem)
Baseado no livro I cani dei Sinai (1967) de Franco Fortini.

Da Nuvem à Resistência
(Dalla Nube alla Resistenza, Itália, 1980, 35mm, Cor, 105’, longa-metragem)
Baseado nos livros Dialoghi con Leucò (Diálogos com Leucó,1947) e La Luna e i Falò (A lua e os fogos, 1949), de Cesare Pavese.

En Rachâchant
(França, 1982, 35mm, P&B, 7’, curta-metragem)
Baseado na história Ah, Ernesto! (1971), de Marguerite Duras.

Cedo Demais/Tarde Demais
(Trop tôt/trop tard; Troppo presto/Troppo tardi, França/Egito, 1980, 16mm, Cor, 100’, longa-metragem)
A partir de carta de Friedrich Engels à karl Kautsky (20 de fevereiro de 1889); excerto de die Bauernfrage in Frankreich und Deutschland (A questão camponesa na França e na Alemanha,1895-95); posfácio de La lutte de classe en Egypte de 1945 à 1968(1969), de Mamoud Hussein.

Relações de Classes
(Klassenverhältnisse, República Federal da Alemanha/França, 1983, 35mm, P&B, 130’, , longa-metragem)
Baseado no romance inacabado Amerika (1912-14), de Franz Kafka.

A Morte de Empédocles ou Quando a Terra Voltar a Brilhar Verde para Ti
(Der Toddes Empedokles oder Wenn dann der Erde grün Von neuem euch erglänzt, República Federal da Alemanha/França, 1986, 35mm, Cor, 132’, longa-metragem)
Baseado no II Ato da primeira versão da peça homônima de Friedrich Hölderlin, de 1798.

Pecado Negro
(Schwarze Sünde, República Federal da Alemanha, 1988, 35mm, Cor, 42’, média-metragem)
Baseado na 3a versão de A Morte de Empédocles (1798), de Friederich Hölderlin.

Cézanne
(França, 1989, 35mm, Cor, 51’, média-metragem)
A partir de Ce qu’il m’a dit (O que ele me disse), extraído do livro Cézanne (1921), de Joachim Gasquet; com excertos dos filmes A Morte de Empédocles (de Straub e Huillet, 1986) e Madame Bovary (Jean Renoir, 1933).

A Antígona de Sófocles, na Tradução de Hölderlin, tal como Foi Adaptada à Cena por Brecht em 1948
(Die Antígone des Sophokles nach der hölderlinschen Übertragung für die Bühne bearbeitet Von Brecht 1948, Suhrkamp Verlag) (Alemanha/França, 1991, 35mm, Cor, 100’, longa-metragem)
Baseado na Antígona (441 A.C.) de Sófocles – traduzida ao alemão por Friederich Hölderlin (1800-1803) e adaptada por Brecht (1947-1951).

Lorena!
(Lothringen!, Alemanha/França, 1994, 35mm, Cor, 21’, curta-metragem)
A partir de Colette Baudoche. Histoire d’une jeune fille de Metz (Colette Baudoche. História de uma jovem de Metz,1909), de Maurice Barres.

De Hoje para Amanhã
(Von Heute auf Morgen, Alemanha/França, 1996, 35mm, P&B, 62’, longa-metragem)
A partir da ópera homônima de Schönberg.

Sicília!
(Sicilia!, Itália, 1998, 35mm, Cor, 66’, longa-metragem)
A partir do romance Conversazione in Sicilia (Conversas na Sicília, 1937-38), de Elio Vittorini. Prêmio da Crítica na 23ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Operários, Camponeses
(Operai, Contadini, Itália, 2000, 35mm, Cor, 123’, longa-metragem)
A partir do romance Le donne di Messina (1949 e segunda edição parcialmente reescrita em 1967), de Elio Vittorini.

O Retorno do Filho Pródigo – Humilhados
(Il Ritorno del figlio prodigo – Umiliati, Itália/França/Alemanha, 2003, 35mm, Cor, 64’, longa-metragem)Primeira parte: nova montagem dos planos 40 a 46 e 63 a 66 de Operai, Contadini. Segunda parte: excertos do romance Le Donne di Messina de Elio Vittorini.

Uma Visita ao Louvre
(Une visite au Louvre, França/Alemanha, 2004, 35mm, Cor, 48’, média-metragem)
Baseado em ce qu’il m’a dit (O que ele me disse), diálogo entre Joachim Gasquet e Paul Cézanne no livro Cézanne(1921), de Joachim Gasquet.

Esses Encontros com Eles
(Quei loro incontri, Itália/França, 2006, 35mm, Cor, 68’, longa-metragem)
Em Dalla Nube alla Resistenza Straub-Huillet adaptaram uma das 6 histórias do livro Diálogos com Leucò (1947), de Cesare Pavese. Neste filme, adaptam as outras 5 histórias do mesmo livro.

Europa 2005 – 27 de outubro (*)
(Europa 2005 – 27 octobre, França, 2006, DV, Cor, 11’, curta-metragem)
Filmado próximo ao transformador de Clichy-sous-Bois, onde dois jovens encontraram a morte em 27 de outubro de 2005.

O Joelho de Artemide (*)
(Le Genou d’Artemide, Itália/França, 2007, 35mm, Cor, 26’, curta-metragem)
Baseado no diálogo La Belva de Cesare Pavese, extraído do livro Diálogos com Leucò.

Itinerário de Jean Bricard
(Itineraire de Jean Bricard, França, 2007, 35mm, P&B, 40’, média-metragem)
Baseado no livro homônimo de Jean-Yves Petiteau de 1994.

Le Streghe/Entre Mulheres (*)
(Le streghe – Femmes entre elles, França/Itália, 2008, 35mm, Cor, 21’, curta-metragem)
Baseado em Le Streghe, o primeiro dos Diálogos com Leucò de Cesare Pavese.

Corneille/Brecht ou Roma o Único Objeto de meu Ressentimento (*)
(Corneille-Brecht ou Rome l’unique objet de mon ressentiment, França, 2009, HD, 29’, curta-metragem)
Dois excertos curtos de Horacio e de Othon de Corneille, e um excerto longo de Das Verhör dês Lukullus de Brecht, peça radiofônica de 1939.

Joachim Gatti (*)
(França, 2009, HD, Cor, 1’30”, curta-metragem)
Homenagem a Joachim Gatti, jovem fotógrafo e ativista político que perdeu um olho em enfrentamento com a polícia em manifestação.

O Somma Luce (*)
(França/Itália, 2010, HD, Cor, 18’, curta-metragem)
O último canto do Paraíso da Divina Comédia de Dante Alighieri.

Um Herdeiro (*)
(Un Héritier, França/Coréia do Sul, 2011, HD, Cor , 20’, curta-metragem)
A partir de Au service de l’Allemagne, livro de Maurice Barrès.

Chacais e Árabes (*)
(Schakale und Araber, Suíça, 2011, HD, Cor, 11’, curta-metragem)
Baseado no conto homônimo de Kafka.

O Inconsolável (*)
(L’Inconsolable, França, 2011, HD, Cor, 15’, curta-metragem)
A partir de Diálogos com Leucò, o filme é uma reflexão sobre o mito de Orfeu.

Filmografia complementar sobre Straub-Huillet

Jean-Marie Straub e Danièle Huillet trabalhando num filme sobre um fragmento de Amerika, romance inacabado de Franz Kafka, de Harun Faröcki
(Jean-Marie Straub und Danièle Huillet bei der Arbeit an einem film nach Franz Kafka’s Romanfragment “Amerika”, Republica Federal da Alemhana, 1983, 16mm, Cor, 26’, curta-metragem)
Faröcki documenta ensaios e filmagens de Relacões de Classe, filme no qual atuou.

Como eu Vou Rir Feliz – Danièle Huillet e Jean-Marie Straub e seu filme Relações de classes, de Manfred Blank
(Wie will ich lustig lachen. Straub/Huillet un ihr Film “Klassenverhältnisse”, Republica Federal da Alemhana, 1984, 16mm, Cor, 42’, média-metragem)
Manfred Blank documenta ensaios e filmagens de Relacões de Classe, filme no qual atuou.

Onde Jaz o Teu Sorriso?, de Pedro costa
(Où gît votre sourire, enfoui?, França/ Portugal, 2001, 35mm, Cor, 95’, longa-metragem)
A convite do canal francês de televisão Arte, Pedro Costa registra o processo de montagem da terceira versão de Sicília!.

Os Avatares da Morte de Empédocles, de Jean-Paul Toraille
(Les Avatars de la mort d’Empédocle, França, 2009, Digibeta, Cor, 53’, média-metragem)
Mais de 20 anos depois de A morte de Empédocles, Straub convida Toraille, que fez a câmera do filme, a montar o material registrado por este durante as filmagens.

Digam-me Alguma Coisa, de Philipe Lafosse
(Dites moi quelque choise, França, 2010, Digibeta, Cor, 94’, longa-metragem)
Registro de conversas de Jean-Marie Straub com o público após projeções de alguns de seus filmes na sala Reflet-Médicis em Paris, outono/inverno de 2007-2008.

SERVIÇO

Straub-Huillet
Centro Cultural Banco do Brasil
Curadoria: Ernesto Gougain e Fernanda Taddei

São Paulo:
17 a 29 de janeiro de 2012 (terça a domingo)
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Cinema (70 lugares)
Rua Álvares Penteado 112, Centro
Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia)
Sessões em DVD: gratuitas