A cerimônia de entrega dos vários Ursos no Berlinale Palast não surpreendeu somente jornalistas, mas também a opinião pública. No twitter e na revista alemã Spiegel (Espelho), as críticas aos prêmios são ferrenhas, para dizer o mínimo. Tudo indica que o Presidente do Júri, o britânico Mike Leigh optou pela escolha do cinema clássico europeu. Cesare deve morire, dos irmãos Paolo & VittorioTaviani, levou, de fato, o Urso de Ouro, prêmio mais importante do festival de Berlim. Entre as especulações durante a semana, o nome desse filme não era mencionado por ninguém.

TABU, uma coprodução Alemanha, França, Brasil e Portugal, foi tido durante os últimos dias como favorito. Na sexta-feira, o filme de Miguel Gomes com o ator brasileiro Ivo Müller foi escolhido pela crítica internacional FIPRESCI, como o melhor filme da mostra competição.

Surpreendente também a premiação pelo roteiro do filme dinamarquês, A Royal Affair que é, sim, uma delicatesse cinematográfica como fator de entretenimento. O prêmio para o ator Mikkel Boe Felsgaard, que faz o papel do rei, é realmente merecido. Ainda assim, a única jóia cinematográfica da competição em 2012 é TABU, recheada de ousadia, fatores surpreendentes de como a história é contada, arrancando o expectador da zona de conforto, cheia de metáforas e uma deliciosa colagem pop-cinematográfica-filosófica, essa última representada pelo “crocodilo melancólico”.

TABU não foi bem recebido pela imprensa germânica, ao contrário de países como Itália, França, Brasil. Rádio Eins, um dos parceiros de mídia do festival, convidou o crítico alemão Horst Evers para comentar o filme. Totalmente equivocado e incapaz de adentrar o universo hermético de Miguel Gomes, Evers usou o “crocodilo melancólico” como isca para ridicularizar todo o filme, dividindo com a plateia no final da noite, a fim mesmo de ser entretida, somente alguns aspectos do filme e todos eles fora do contexto.

O longa de Miguel Gomes é, com certeza, um filme dificilmente digerível. Quem tem a curiosidade de passar por uma fase inicial de estranhamento terá deliciosos momentos de uma colagem muito porreta da cinematografia mundial, incluindo Charles Chaplin, F. W. Murnau e filmes do Tarzan. Na trilha sonora, vai de canções italianas – pop, no estilo Elvis dos anos 40 – até insistentes batuques africanos .

De um júri tão eclético era de se esperar mais do que o quesito politicamente correto e da premiação repetitiva do cinema clássico europeu.

Lista completa de premiação:

Júri de curtas:

Menção Especial
Licuri Surf, do diretor brasileiro Guile Martins

Urso de prata, Prêmio do Júri
Gurehto Rabitto, do japonês Atsushi Wada

Urso de Ouro
Rafa, do diretor português Joao Salaviza

Prêmio Alfred Bauer, em homenagem ao criador e longo diretor do festival dedicado à novas perspectivas da arte cinematográfica
TABU

Urso de Prata melhor roteiro
Nikolaj Arcel e Rasmus Heisterberg
A Royal Affair

Urso de Prata menção do Júri
Lutz Reitemeier (Cinegrafista) no fime White Deer Plain

Urso de Prata, melhor ator:
Mikkel Folsgaard
A Royal Affair

Urso de Prata, melhor atriz
Rachel Mwanza
War Witch

Urso de Prata, melhor diretor
Christian Petzold
Barbara

Urso de Prata, Grande Prêmio do Júri
Diretor Bence Fliegeauf
Just the Wind

Urso de Ouro
Cesare deve moriere
Diretores Paolo & Vittorio Taviani

>>> Confira Miguel Gomes exibindo o Prêmio Alfred Bauer aos jornalistas após a premiação.