(The Heat, EUA, 2013)

Comédia
Direção: Paul Feig
Elenco: Sandra Bullock, Melissa McCarthy, Demian Bichir, Marlon Wayans, Michael Rapaport, Jane Curtin, Spoken Reasons, Dan Bakkedahl, Taran Killam, Michael McDonald, Thomas F. Wilson
Roteiro: Katie Dippold
Duração: 117 min.
Nota: 6 ★★★★★★☆☆☆☆

Nada soa muito original em As Bem-Armadas. A história é sobre uma dupla de policiais com personalidades distintas que precisa se entender para resolver um crime. Filmes como este existem aos montes por aí e não é difícil deduzir o caminho que tramas do gênero seguirão. Apesar da sua previsibilidade, há duas coisas no longa-metragem que garantem o bom entretenimento: Sandra Bullock e Melissa McCarthy.

Sarah Ashburn (Sandra Bullock) é uma agente do FBI transferida para a cidade de Boston para ajudar a polícia local a desvendar uma rede de tráfico de drogas. Disciplinada, ela não tolera a quebra das regras e se comporta como se fosse uma policial melhor do que os outros. Em resumo, uma chata. A explosiva Shannon Mullins (Melissa McCarthy) é parceira de Ashburn nesta missão. O estilo de Mullins é despojado. Ela vai trabalhar de jeans e camiseta e não sente constrangimento em dizer palavrões. Aliás, a boca suja de Mullins é uma das suas marcas registradas.

Na apresentação de cada uma no início do filme, fica claro que elas precisarão arrumar um jeito de se dar bem, caso queiram ter sucesso na missão a que foram designadas. A premissa de As Bem-Armadas pode ser batida, mas neste filme de Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento) é eficiente. O mérito do diretor está no uso sem receios de clichês, caricaturas e diálogos engraçados. Nem as cenas sem conexões com a história, que estão presentes apenas para forçar o riso, atrapalham.

Mas tudo funciona, porque Sandra Bullock e Melissa McCarthy estão em sintonia e a dupla de atrizes dá conta do recado. McCarthy, por sinal, rouba muitas cenas com o jeito impulsivo da sua personagem.

O problema de As Bem-Amadas está em seu começo, quando as policiais ainda estão resolvendo suas diferenças. Isto faz com que o filme demore um pouco a engrenar, mas quando elas se tornam de fato parceiras, a história cresce, com direito a cenas que arrancam gargalhadas. Uma das mais engraçadas é a performance musical de Ashburn e Mullins ao som de Groove Is in the Heart do grupo Dee-Lite durante uma noitada regada a bebidas.

Sem grandes tropeços, As Bem-Armadas pode até não primar pela originalidade, mas o bom entrosamento entre as atrizes e o humor na medida certa compensam e resultam em boa diversão.

Um Grande Momento:
A traqueostomia.

As-bem-armadas_poster

Links

No IMDb Site Oficial