(Arbitrage, EUA, 2012)

Drama
Direção: Nicholas Jarecki
Elenco: Richard Gere, Susan Sarandon, Tim Roth, Brit Marling, Laetitia Casta, Nate Parker, Stuart Margolin, Chris Eigeman, Graydon Carter, Bruce Altman, Larry Pine, Curtiss Cook
Roteiro: Nicholas Jarecki
Duração: 107 min.
Nota: 8 ★★★★★★★★☆☆

A crise econômica ainda dá pano para muita manga no cinema. São tantas esferas atingidas, tantas pessoas diferentes e com consequências tão diversas que histórias não cansam de aparecer. A Negociação é um exemplo claro disso.

Escrita e dirigida por Nicholas Jarecki que, filho de investidores, vivencia a realidade do mercado há muito tempo, o filme é surpreendente na sua abordagem não estereotipada e no envolvimento que consegue despertar no público, sem ignorar a frieza dos agentes ou a variabilidade da noção de ética.

No filme, Robert Miller está prestes a fazer uma venda milionária que apagará rastros de falcatruas que praticou em sua própria empresa depois de uma aposta malsucedida. Sua vida resume-se quase totalmente aos negócios, aqueles que sustentam os luxos de sua esposa, que ocupam a vida de sua filha e também contadora e possibilitam a arte de sua amante. Se o profissional sempre invade o espaço das relações pessoais, essas também, em algum momento, ultrapassam os limites.

É depois que compreendemos e nos habituamos ao modo de vida de Robert, quando já somos quase coniventes com ele que o evento mais grave acontece. A concordância com as ações do investidor e uma inesperada torcida favorável a ele surpreendem justamente por, na maioria dos casos, serem eticamente inconcebíveis.

Tudo graças a um roteiro extremamente bem escrito, calculado e muito consciente do caminho pelo qual quer guiar seus espectadores. A precisão é fundamental para a manutenção do suspense e para uma boa integração de diálogos técnicos que, em outras circunstâncias, mais afastariam do que interessariam a leigos.

Além do roteiro, Richard Gere apresenta o trabalho mais consistente de sua carreira. Seu Robert Miller é extremamente carismático e esbanja segurança, frieza e conforto nas mais inesperadas situações. Em contraposição, Nate Parker está fantástico como o jovem filho de um ex-empregado chamado para ajudar. Além dos dois, Tim Roth brilha como o investigador que não cansa de perseguir o protagonista e Susan Sarandon, como a esposa do empresário.

Sem fazer muito alarde e muito menos comentado do que deveria, A Negociação surpreende e demonstra que reviravoltas mirabolantes e tramas truncadas são muito menos eficientes do que a simplicidade de uma boa história. Um dos bons filmes da temporada. Merece ser visto.

Um Grande Momento:
A conversa com a esposa.

A-Negociação

Links

No IMDb Site Oficial