Com uma onda fria daquelas que pedem casacões pesados, cachecóis, segundas-peles, meiões e luvas grossas, a capital paranaense recebe, desde o dia 8 de junho, o 5º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. Privilegiando o cinema independente do mundo e trazendo às telas títulos que dificilmente entram em cartaz no país, o festival, ainda que novo, já pode ser considerado um dos mais interessantes do país.

Dividido em dois espaços de projeção, com três salas no Espaço Itaú do Shopping Crystal e duas salas no Shopping Nova Batel, o Olhar de Cinema traz a cinefilia ao centro da cidade, com oportunidade de ver o que há de mais novo no cinema nacional, como O Estranho Caso de Ezequiel, de Guto Parente; Cidade do Futuro, de Cláudio Marques e Marília Hughes, e Eles Vieram e Roubaram sua Alma, de Daniel de Bem – todos estreando mundialmente no festival – ou rever grandes clássicos restaurados como Ninotchka, de Ernst Lubischt, ou A Cor da Romã, de Sergei Paradjanov.

Há ainda espaço para homenagens. Pela segunda vez, o festival faz uma mostra com a intenção de apresentar ao público uma nova filmografia que mereça destaque. É a Mostra Foco, que traz nesta edição o diretor argentino Matías Piñeiro que, além de ministrar uma masterclass, exibe seus cinco filmes: Todos Mentem, O Homem Roubado, Violeta, Rosalinda e A Princesa da França.

Outro homenageado do festival é o diretor Luiz Sérgio Person, que, neste ano, completaria 80 anos de vida. Além de trazer à Curitiba duas de suas obras mais importantes – O Caso dos Irmãos Naves e São Paulo S/A, o Olhar de Cinema ainda foi buscar dois de seus curtas, filmados enquanto o realizador estudava cinema na Itália, além de outros títulos.

 

Cena do filme O Caso dos Irmãos Naves

Cena do filme O Caso dos Irmãos Naves

Entre exibições especiais e novidades do cinema paranaense, o público ainda pode conferir os debates que precedem alguns dos filmes e, para extender a agenda, começando mais cedo, acompanhar alguns dos seminários agendados pelo festival sobre temas diversos. O seminário sobre o cinema na era do golpe, com a presença do ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira, e do ex-assessor internacional da Ancine, Eduardo Valente, é um dos que prometem render bastante, por exemplo.

Então, é hora de preparar a roupa de frio, descobrir aquele lugar onde se pode tomar um chocolate quente gostoso, selecionar os filmes que serão assistidos e os eventos que serão acompanhados na variada programação e partir para a sala escura.

A programação completa pode ser consultada aqui. Para mais detalhes, visite a página do evento.