Pelo terceiro ano, o Itamaraty oferece aos filmes brasileiros participantes da Mostra Internacional de Cinema o Prêmio Itamaraty, que visa incentivar a produção cinematográfica brasileira e sua promoção no exterior, através da concessão de prêmio aos filmes escolhidos pelo júri entre os mais votados pelo público da Mostra.

O júri que concederá o Prêmio Itamaraty às produções nas categorias abaixo é composto por Bernardo Spinelli, Beth Sá Freire e Paulo Halm.

Esse júri escolherá, entre os cinco filmes mais bem votados pelo público, o melhor longa-metragem documentário, melhor longa-metragem de ficção e melhor curta-metragem.

Os valores brutos dos prêmios serão:

a) Melhor Curta-Metragem: R$ 15.000,00 (quinze mil reais)
b) Melhor Longa-Metragem de Documentário: R$ 30.000,00 (trinta mil reais)
c) Melhor Longa-Metragem de Ficção: R$ 45.000,00 (quarenta e cinco mil reais)

Os filmes vencedores serão anunciados na cerimônia de encerramento da Mostra, no dia 3 de novembro.

Concorrem ao Prêmio Itamaraty 2011:

MELHOR LONGA-METRAGEM FICÇÃO

ARTIGAS (Artigas – La Redota), de Cesar Charlone
EU RECEBERIA AS PIORES NOTÍCIAS DOS SEUS LINDOS LÁBIOS, de Beto Brant, Renato Ciasca
HISTÓRIAS QUE SÓ EXISTEM QUANDO LEMBRADAS, de Julia Murat
OS 3, de Nando Olival
TEUS OLHOS MEUS, de Caio Sóh

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

À MARGEM DO XINGU – VOZES NÃO CONSIDERADAS, de Damià Puig
MARCELO YUKA NO CAMINHO DAS SETAS, de Daniela Broitman
MARIGHELLA, de Isa Grinspum Ferraz
RAUL – O INÍCIO, O FIM E O MEIO, de Walter Carvalho
VAI-VAI: 80 ANOS NAS RUAS, de Fernando Capuano

MELHOR CURTA-METRAGEM

A CASA DA VÓ NEYDE, de Caio Cavechini
CINE CAMELÔ, de Clarissa Knoll
MPB: A HISTÓRIA QUE O BRASIL NÃO CONHECE, de André Moraes e Rafael Greyck
O BRASIL DE PERO VAZ CAMINHA, de Bruno Laet
TATU BOLINHA, de Quelany Vicente