O festival iberoamericano Cine Ceará acontece em Fortaleza até o próximo dia 22

Com homenagem à atriz Dira Paes, a 26ª edição do Cine Ceará chegou hoje (18) ao seu primeiro final de semana. Com atraso de mais de uma hora na programação e discurso morno, que pouco lembrou o da noite de abertura, o sábado ainda contou com exibição do curta-metragem cearense Janaína Overdrive e dos longas Maresia, brasileiro, e Salsipuedes, panamenho.

CC-homenagem-dira-paes

Dira Paes recebe Troféu Eusélio Oliveira das mãos do colega ator Jesuíta Barbosa no 26º Cine Ceará (Foto: Rogério Resende/Chico Gadelha)

Por sua longa e bem sucedida carreira, a atriz de cinema, teatro e televisão Dira Paes foi uma das homenageadas do ano de 2016 do festival ibero-americano do Ceará, que acontece até o dia 22 de junho em Fortaleza. Outro homenageado desta edição foi o também ator Chico Diaz

Das exibições, o curta cearense Janaína Overdrive conseguiu algum destaque com sua ficção científica trash em uma mescla de referências de Blade Runner, Fome de ViverMatrix e outros. Entre os longas-metragens, sobrou previsibilidade e faltou empolgação ao brasileiro Maresia, mas nada que se compare ao panamenho Salsipuedes e sua confusão de estilo, ritmo, andamento, estética e tudo mais.

“Primeiramente, fora Temer!”

Na abertura do festival, o ator Chico Diaz, nascido no México e radicado no Brasil, foi o grande homenageado. Também com uma longa carreira no cinema, Diaz tem 40 filmes em seu currículo, além de várias participações em novelas, seriados, minisséries e em peças teatrais.

Filho de mãe brasileira e pai paraguaio, o ator tem uma carreira para lá de consolidada e já deu vida a vários papeis marcante, boa parte deles nordestinos, o que faz com que diga que é um nordestino na arte. O cangaceiro de Corisco & Dadá, filme do cearense Rosemberg Cariry, e o coronel Zé de Zito, de Baile perfumado, de Paulo Caldas e Lírio Ferreira, são bons exemplos disso.

O tom político tomou conta da cerimônia que iniciou o Cine Ceará com a participação do público. Munidos de cartazes e faixas com a já tradicional frase “Fora, Temer!”, o público do Cine Teatro São Luiz, deixou clara sua posição. Não faltaram discursos inflamados contra o governo interino, ressaltando as inseguranças com o destino, devido às medidas adotadas até então.

Ao agradecer à homenagem, Diaz também fez questão de demonstrar sua contrariedade com o governo interino e ressaltar a importância de preservação a cultura.

Festival segue

Na programação de amanhã, além da exibição dos debates com realizados e dos filmes cearenses na tela do Dragão do Mar, o Cine Teatro São Luiz exibe os curtas Fotograma e Índios no Poder, e o longa Menino 23.

O 26° Cine Ceará segue até a próxima quarta-feira (22), com exibições no Cinema do Dragão – Fundação Joaquim Nabuco, no espaço Dragão o Mar, dos filmes selecionados para a Mostra Olhar do Ceará. No Cine Teatro São Luiz são exibidos os filmes das mostras competitivas nacional e iberoamericana. Os debates com realizadores acontecem pela manhã no auditório do hotel Mareiro.

Este ano, o México foi o país homenageado com a Mostra de Cinema Mexicano, que apresentou 22 filmes, dos quais sete são inéditos no Brasil e nove inéditos no Ceará. A Mostra acontece até amanhã (19) na Caixa Cultural Fortaleza.